Administradores de Itacoatiara

2
6221

1 – Período Colonial

1.1.Estado do Maranhão e Grão-Pará
(Criado pela Carta Régia de 13 de junho de 1621).

1.1.1. Missão Jesuítica do Rio Mataurá (1683-1691)
(Fundada em 08 de setembro de 1683). 

01 – Padre Jódoco Perez // Fundou a missão em 08 de setembro de 1683; chegou a Mataurá na véspera e permaneceu ali até c. 27 dos mesmos mês e ano;
02 – Missão desativada em razão da expulsão dos jesuítas da Amazônia: 1684-1688;
03 – Padre João Ângelo Bonomi // Administrador: entre c. meados de março de 1689 e c. final de fevereiro de 1690; e de c. janeiro a c. julho de 1691.

1.1.2.      Missão Jesuítica do Rio Canumã (1691-1696)
(Transferida do Mataurá para o Rio Canumã em c. agosto de 1691).

Padre Antônio da Fonseca // Administrador cumulativamente com a de gestor da missão dos índiosTupinambarana: c. agosto de 1691-c. julho de 1696.

1.1.3. Missão Jesuítica do Rio Abacaxis (1696-1756)
(Transferida do Canumã para o Rio Abacaxis em c. julho de 1696).

01 – Padre João da Silva // Administrador: c. gosto de 1696-c. junho de 1697;
02 – Padre Domingos de Macedo // c. início de 1698-c. novembro de 1704;
03 – Padre Francisco Xavier de Molovetz // de c. dezembro de 1705 a dezembro de 1708;
04 – Padre Lourenço Homem // c. fevereiro de 1709 a começos de 1710;
05 – Padre Bartolomeu Rodrigues // Cumulativamente com a de gestor da missão dos índios Tupinambarana: c. início de 1710-c. dezembro de 1714;
06 – Padre João de Sampaio // Administrador: c. março de 1715-c. maio de 1723;
07 – Padre Manuel da Mota // Idem de 1724 a 1727;
08 – Padre João de Sampaio // Idem de 1728 a 1730;
09  Padre Manuel Fernandes // Idem de 1730 a 1732;
10 – Padre João de Sampaio // Cumulativamente com a missão de Trocano: 1733 a 1742;
11 – Padre João Roque Hundertpfundt // Administrou a missão em 1744;
12 – Aos cuidados de irmãos leigos da Ordem dos jesuítas // Período 1745-1746;
13 – Padre Teotônio Barbosa // Administrador de 1747 a 1750;
14 – Padre Antônio Maisterbourg // Idem de 1751 a 1753;
15 – Padre Anselmo Eckart // Idem em 1754;
16 – Padre Antônio Maisterbourg // Assume no início de 1755. Por ordem do governador   Mendonça Furtado retira-se da missão em junho de 1756.

1.2.Estado do Grão-Pará e Maranhão
(Mudança de denominação em 31 de janeiro de 1751).

1.2.1. Capitania de São José do Rio Negro.
(Criada pela Carta Régia de 03.03.1755; instalada em 07 de maio de 1758).

1.2.1.1. Ainda Missão Jesuítica do Rio Abacaxis (1757)
(Transferida neste ano para a margem esquerda do Rio Madeira). 

Os moradores de Abacaxis, paralelamente à segunda expulsão dos jesuítas, tratam diretamente com Mendonça Furtado sobre o futuro do núcleo urbano // 1757.

1.2.1.2. Ainda Missão jesuítica do Rio Abacaxis (1758)
(Finalmente transladada à margem esquerda do Rio Amazonas). 

Mendonça Furtado: em março de 1758 autoriza a transladação dos moradores para o sítio Itaquatiara; a medida se efetiva em 18 de abril de 1758.

1.2.1.3. Vila de Nossa Senhora do Rosário de Serpa (1759-1834)
(Criada e instalada com base nas cartas régias de 06.06.1755 e 14.09.1758).

01 – Instalação da Vila pelo governador Joaquim de Mello e Póvoas: 01 de janeiro de 1759;
02 – A solene cerimônia consistiu de: levantamento do Pelourinho; vivas ao Rei de Portugal; posse dos membros da corporação municipal (dois juízes de paz e três vereadores escolhidos entre os índios); e posse do diretor do povoado e do procurador da Câmara (recrutados entre cidadãos portugueses). // À falta de documentação não se conhecem os administradores do período 1759-1772;
03 – Manoel Teixeira // Diretor da Vila em 1773-1774;
04 – Antônio da Costa de Medeiros // Idem em 1775-1776;
05 – Agentes públicos desconhecidos // Período 1777-1785;
06 – Antônio Vieira Corrêa da Maia // Diretor da Vila em 1786-1787;
07 – Administradores desconhecidos // Período 1788-1817;
08 – Vereador João da Silva e Cunha // Presidente da Câmara de Serpa 1818-1820;
09 – Presidentes da Câmara Municipal // Desconhecidos: período 1821-1822.

2 – Período Imperial
2.1. Ainda Capitania de São José do Rio Negro
2.1.1. Ainda Vila de Nossa Senhora do Rosário de Serpa (1759-1834)

Presidentes de Câmara desconhecidos // Período 1822-1833.

2.2. Comarca do Alto Amazonas
(Criada pelo Decreto paraense de 25.06.1833; instalada no final deste ano).

2.2.1. Freguesia de Serpa (1834-1857)                                                 
(Extinção da vila pela Instrução de 14.08.1834 do Conselho paraense).

01 – Antônio Macedo Português // Juiz de paz e diretor da freguesia 1834-1836;
02 – Diretores  da freguesia // Desconhecidos: período 1837-c. 1843;
03 – Manuel Joaquim da Costa Pinheiro // Diretor em c. 1844-1849;
04 – Damaso de Souza Barriga // Diretor em 1850-1852.

2.3. Província do Amazonas
(Criada pela Lei imperial nº 582, de 05.09.1850; instalada em 01 de janeiro de 1852).

2.3.1. Ainda Freguesia de Serpa (1834-1857)

01 – Manuel Joaquim da Costa Pinheiro // Diretor da freguesia em 1852-c. 1854;
02 – Damaso de Souza Barriga // Idem no período c. 1855-1857.

2.3.2. Vila de Serpa (1858-1874)
(Recriada pela Lei provincial nº 74, de 10.12.1857; reinstalada em 24.06.1858).

01 – Manuel Joaquim da Costa Pinheiro // Presidente da Câmara: de 24.06 a c.04.08.1858;
02 – Antônio José Serudo Martins // Vice-presidente. Assumiu a presidência interinamente de 05.08 a 31.12.1858. Com a morte de Manuel Joaquim da Costa Pinheiro, passou a titular: período 01.01.1859 a 07.01.1861;
03 – Damaso de Souza Barriga // Presidente da Câmara em caráter eventual nos períodos de 07.04 a 13.06.1859 e de 14.01 a 24.10.1860;
04 – Damaso de Souza Barriga // Eleito em 30.12.1860 para governar no período 08.01.1861-07.01.1865. Acusado de corrupção foi afastado em 23.11.1864;
05 – Raymundo Cândido Ferraz // Presidente interino de 07.07.1862 a c.30.07.1862;
06 – Joaquim da Costa Arcos // Presidente interino de 14.02.1863 a c. 13.03.1863;
07 – Antônio José Serudo Martins // Substituiu a Damaso Barriga: 23.11.1864 a 07.01.1865;
08 – Antônio José Serudo Martins // Reeleito presidente: 08.01.1865 a 07.01.1869;
09 – Damaso de Souza Barriga // Reabilitado politica e moralmente, foi eleito para o período 08.01.1869-07.01.1873.  Mas não concluiu o período. Licenciado para assumir a Assembleia Legislativa Provincial entre junho de 1869 e 01.11.1870. Voltou à presidência da Câmara onde ficou até c. junho de 1872. Daí foi assumir o juizado de paz donde retornou à função original em c. agosto deste ano de 1872. Cerca de um mês depois novamente voltou à deputação estadual;
10 – Elias Pinto de França // Presidente interino: de c. junho de 1869 a 01.11.1870;
11 – Raymundo Cândido Ferraz // Presidente interino de c. junho a c. agosto de 1872; e de c. setembro de 1872 a 07.01.1873;
12 – Damaso de Souza Barriga // Reeleito vereador em 07.09.1872 assumiu a presidência da Câmara em 08.01.1873. No início de março de 1874 voltou à Assembleia Legislativa Provincial, onde defendeu o projeto que, aprovado, resultou na Lei nº 283, de 25.04.1874, que elevou à categoria de Cidade a vila de Serpa;
13 – Dionísio José Serudo Martins // Presidente eventual: c. início de março a 04.06.1874.

2.3.3. Cidade de Itacoatiara (1874 a 1889)
(Elevação da vila à Cidade em 25.04.1874; instalação em 05 de junho de1874).

01 – Damaso de Souza Barriga // Presidiu à sessão de instalação da cidade (05.06.1874). Ficou à frente do governo municipal até 13.03.1876, quando renunciou à vereança para assumir definitivamente o cargo de deputado. Na Assembleia Legislativa Provincial conseguiu efetivar a Lei nº 341, de 26.04.1876, que elevou à Comarca o Termo Judiciário de Itacoatiara. // Seu mandato foi de 05.06.1874 a 13.03.1876;
02 – João Antônio Rodrigues Vieira // Presidente interino. Em seu período falece o deputado Damaso Barriga (14.06.1876) – Governa de 14.03 a 17.06.1876;
03 – Júlio Ferreira Capucho // Presidente interino. Afastado da presidência da Câmara por razões de natureza ética; em seguida é decretada intervenção no Município. Período governamental foi de 18.06 a 26.07.1876;
04 – Tenente Aristides Augusto César Pires // Interventor provincial: de 27.07 a 02.08.1876;
05 – Dionísio José Serudo Martins // Designado para um mandato-tampão, que o exerceu no período de 03.08.1876 a 07.01.1877;
06 – Dionísio José Serudo Martins // Eleito vereador em 07.09.1876 para o triênio 1877-1880 assumiu a presidência em 08.01.1877. Retirado para tratamento de saúde em 14.06.1877, retornou em 11.07.1878. Gravemente enfermo afastou-se em definitivo do cargo em 13.01.1879;
07 – Antônio José Serudo Martins // Presidente eventual; assumiu em 15.06.1877, mas em razão de força maior renunciou em 24.04.1878;
08 – Máximo Pinheiro Lopes // Interino de 25.04.1878 a 10.07.1878 e de 14.01 a 06.04.1879;
09 – Antônio José de Moura Júnior // Presidente interino de 07.04.1879 a 07.01.1880;
10 – Antônio José de Moura Júnior // Reeleito para o triênio 08.01.1880 a 07.01.1883;
11 – Dionísio José Serudo Martins // Presidiu a Câmara de 01.1883 a c. 02.10.1884;
12 – João Pereira Barbosa // Presidente da Câmara de c. 03.10.1884 a 14.01.1886;
13 – João Pereira Barbosa // Reeleito para o triênio 1886-1889. Assumiu em 15.01.1886 e governou o Município ininterruptamente até 14.01.1889;
14 – Álvaro Botelho de Castro e França // Eleito em 01.12.1888, assume em janeiro seguinte. Mas em menos de dez meses tem seu mandato interrompido pelo opositor João Pereira Barbosa. Este, movido pela propaganda republicana, dá um “golpe” na Câmara e se autoproclama seu presidente. Portanto, Álvaro França governou de 15.01.1889 a c. meados de setembro de 1889;
15 – João Pereira Barbosa // Assume o governo à força. A 23 de novembro de 1889 reúne a Câmara e declara a adesão de Itacoatiara ao regime republicano. Governou de: c. meados de setembro de 1889 a 04.01.1890.

3– Período Republicano
3.1.  Estado do Amazonas
(A notícia da Proclamação da República chegou ao Amazonas em 21.11.1889).

3.1.1.      Cidade de Itacoatiara (1889 à atualidade)

01 – Raymundo Nunes Salgado // Em seguida à decretação da República, a Junta Governativa do Amazonas manda extinguir as câmaras e cria os conselhos dos municípios. Nunes Salgado presidiu o Conselho Municipal de Itacoatiara no curto período de 05.01.1890 a 01.09.1890;
02 – Joaquim José Pinto de França // Presidente interino de 02.09 a 10.09.1890;
03 – Carlos Cardoso Fernandes de Sá // Presidente do Conselho de 11.09 a 01.10.1890;
04 – Targino José das Neves Bananeira // Idem no período de 02.10.1890 a 19.07.1891;
05 – Raymundo João Carneiro // Assumiu em 20.07.1891. Com a outorga da Constituição Estadual de 13.03.1891 o cargo de Presidente do Conselho passa a ser Comissário Executivo Municipal. Nessa função fica à frente do governo municipal até 12.01.1892;
06 – Miguel Francisco Cruz Júnior // Empossado Comissário Executivo do Município em 13.01.1892 e destituído pelo interventor federal do Amazonas, Borges Machado, em 02.03.1892;
07 – Raymundo João Carneiro // Novamente Comissário Executivo de 03.03 a 29.03.1892;
08 – Álvaro Botelho de Castro e França // Nomeado pelo governador Eduardo Ribeiro, assume em30.03.1892 e fica no cargo de Comissário Executivo até a promulgação da Constituição Estadual de 23.07.1892;
09 – Álvaro Botelho de Castro e França // Confirmado no cargo. A nova Carta Política do Estado extingue a figura do Comissário Executivo e cria a do Superintendente. Eleito em 25.01.1893, assume em 27.02.1893. // Período efetivo de seu governo: 24.07.1892 a 08.09.1896;
10 – João Miguel Ribas // Como superintendente governou de 09.09.1896 a 11.01.1897;
11 – Avelino Rodrigues // Superintendente municipal de 12.01 a 06.07.1897;
12 – Jason Hermida // Presidente da Intendência, substituiu a Avelino em 07 a 11.07.1897;
13 – Pedro de Alcântara do Rego Barros // Superintendente de 11.07.1897 a 04.06.1898;
14 – Boaventura José de Figueiredo // Intendente e substituto eventual do superintendente no curtíssimo período de 02.02 a 27.02.1898;
15 – Avelino Augusto Martins // Superintendente interino: de 05.06.1898 a 24.02.1899;
16 – Álvaro Botelho de Castro e França // Renomeado superintendente, esteve à frente do governo do Município de 25.02.1899 a 11.03.1900;
17 – Joaquim Alves de Lima Verde // Superintendente de 12.03.1900 a 15.01.1902;
18 – Avelino Augusto Martins // Governou no período: 16.01.1902 a 02.09.1903;
19 – João Pereira Barbosa // Administrou a Superintendência de 03.09.1903 a 24.01.1905;
20 – Luiz Stone // Superintendeu os negócios municipais de 25.01.1905 a 24.01.1908;
21 – João Pereira Barbosa // Novamente superintendente: de 25.01.1908 a 31.12.1910;
22 – Manoel Joaquim da Costa Pinheiro // Período: 01.01.1911 a 31.12.1913;
23 – Joaquim Francisco de Queiroz // Superintendente de 01.01.1914 a 31.12.1916;
24 – João da Paz Serudo Martins // Dirigente do Município de 01.01.1917 a 31.12.1919;
25 – Francisco Olympio de Oliveira // Superintendente de 01.01.1920 a 31.12.1922;
26 – Antônio Guaycurus de Souza // Mandato com interrupções (conforme itens 25, 26 e 27,                           abaixo): governou de 01.01.1923 a c. 14.03.1926;
27  Raymundo Rodrigues Cruz // Intendente; em face da deposição de Antônio Guaycurus de     Souza, assume a Superintendência em c. junho/julho 1924;
28  João da Paz Serudo Martins // Presidente da Intendência; devido ao movimento militar de 23.07.1924, eclodido em Manaus, provavelmente assumiu em agosto de 1924;
29 – Abdias de Paiva // Intendente; devido às desinteligências acima mencionadas, parece ter governado interinamente em setembro de 1924. O certo é que o superintendente Antônio Guaycurus concluiu o seu mandato escorado em uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado;
30 – Isaac José Perez // Em razão da extinção, pela Constituição Estadual de 14.02.1926, do cargo de superintendente, Perez foi o primeiro administrador a receber a designação de Prefeito. Nomeado pelo presidente do Estado Efigênio Ferreira de Salles, assumiu a Prefeitura do Município em 15.03.1926 onde pontificou até 15.03.1930;
31  Abílio Nery // A Revolução de 1930 dissolveu o Congresso Nacional, as assembleias estaduais e as intendências municipais. A de Itacoatiara foi fechada em 25.10.1930 e só seria reaberta em 02.09.1935 com a denominação de Câmara Municipal. Os prefeitos passaram a ser nomeados pelo interventor federal do Estado. Abílio Nery governou de 15.03 a 13.11.1930;
32 – Manoel Lourenço Justiniano de Farias // Período: 14.11.1930 a 30.03.1931;
33 – Manoel Severiano Nunes // Prefeito de 31.03 a 09.09.1931;
34 – Manoel José Machado Barbuda // Governou Itacoatiara de 10.09 a dezembro/1931;
35 – Péricles José Carneiro Toledo // Secretário da Prefeitura: assumiu interinamente a Prefeitura em dezembro/1931;
36 – Gonzaga Tavares Pinheiro // Governou no período: 26.12.1931 a 03.03.1935;
37 – Hermínio de Carvalho // Assumiu em 04.03 e desligou-se do cargo em 19.12.1935;
38 – Hermínio de Carvalho // Graças à abertura política, Hermínio de Carvalho foi eleito em 02.09.1935, assumiu em 20.12.1935, mas, ante a decretação da ditadura do Estado Novo pelo presidente Vargas, não pode concluir seu mandato deixando o governo em 08.12.1937;
39 – Alexandre José Antunes // Nomeado prefeito em 06.12.1937 pelo interventor Álvaro Botelho Maia, governou de 09.12.1937 a 26.05.1943;
40 – José Henrique de Souza Filho // Secretário da Prefeitura; em razão de viagem do prefeito, governou interinamente em maio/junho de 1941;
41 – Gregoriano Magalhães Ausier // Secretário da Prefeitura, substituiu ao prefeito titular no período de 27.05 a 24.06.1943;42 – Francisco do Couto Valle // Governou de 25.06.1943 a meados de janeiro de 1944;
43 – Osório Alves da Fonseca // Prefeito nomeado no período: 02.02.1944 a 03.01.1946;
44 – José Rebelo de Mendonça // Governo de apenas 53 dias: 04.01 a 26.02.1946;
45 – Osório Alves da Fonseca // Reconduzido ao cargo de 28.02.1946 a 30.04.1947;
46 – Francisco Trigueiro Sobrinho // Prefeito no período de: 01.05 a 18.09.1947;
47 – Edson Epaminondas de Melo // Teve curto mandato: de 19.09 a 28.12.1947;
48  Antônio de Araújo Costa // Com a redemocratização do País, em 1945, o prefeito e os membros da Câmara Municipal voltam a ser eleitos pelo povo. // Período governamental: 29.12.1947 a 11.01.1952;
49 – Francisco Ferreira Athayde // Presidente da Câmara, substituiu ao prefeito Antônio de Araújo Costa em 01.12.1948-01.02.1949;
50 – Teodorico de Almeida Nunes // Vencendo as eleições de 16.11.1951 tomou posse em 12.01.1952. Ausentou-se do Município de 21.10 a 08.12.1952. Cassado pela Câmara Municipal em 08.07.1955;
51 – Adamastor Onety de Figueiredo // Presidente da Câmara e prefeito substituto no período de 20.10 a 08.12.1952;
52 – Raimundo Martiniano de Araújo // Prefeito em exercício de 09.07 a 17.07.1955;
53 – Pedro Santarém Penalber // Eleito prefeito pela Câmara em substituição a Teodorico de Almeida Nunes: assume a Prefeitura em 18.07, porém, renuncia ao mandato em 17.11.1955;
54 – Adamastor Onety de Figueiredo // Prefeito em exercício em 18.11; em seguida é eleito pela Câmara para completar o período expirado em 11.01.1956;
55 – Raimundo Perales // Prefeito eleito, assume em 12.01.1956 e governa até 11.01.1960;
56 – Adamastor Onety de Figueiredo // Prefeito em exercício de 09.02 a 13.02.1956;
57 – Acácio Soares de França Leite // Assumiu a Prefeitura em 12.01.1960. Para concorrer à Câmara Municipal, renunciou ao mandato em 05.08.1963;
58 – Luiz da Paz Serudo Martins // Prefeito interino de 04.11 a 13.12.1961;
59 – Luiz Soares de Medeiros // Eleito pela Câmara Municipal assumiu em 06.08.1963. Licenciando-se em 13.10.1963 não mais voltou ao cargo;
60  Paulo Gomes da Silva // Presidente da Câmara: em face da declaração de vacância do cargo deixado por Luiz Soares de Medeiros tomou posse como prefeito em 14.10.1963 e governou até 11.01.1964;
61 – Galdino Girão de Alencar // Assumiu a Prefeitura em 12.01.1964. Para disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, renunciou em 17.09.1966;
62 – Francisco Ferreira Athayde // Vice-presidente da Câmara, em face da renúncia do prefeito e impedimento do presidente da Casa Legislativa, assumiu interinamente a Prefeitura de 17.09 a 26.10.1966;
63 – Jurandir Pereira da Costa // Presidente da Câmara, assumiu a Prefeitura em 27.10.1966 e deu posse ao interventor federal em 11.12.1966;
64 – Armindo Magalhães Auzier // Interventor federal nomeado por decreto de 07.11.1966, do presidente Humberto Castello Branco, referendado por decreto de 31.01.1967 do governador Danilo Duarte de Mattos Areosa: governou de 12.12.1966 até renunciar em 06.09.1967;
65 – Aurélio Vieira dos Santos // Eleito pela Câmara governou de 06.09.1967 a 30.01.1969;
66 – Francisco Ferreira Athayde // Vereador, assumiu interinamente a Prefeitura de meados de outubro ao início de dezembro de 1968;
67 – Jurandir Pereira Costa // Prefeito eleito, juntamente com o vice-prefeito Mábio Frutuoso de França, governou de 31.01.1969 a 31.01.1973;
68 – Aurélio Vieira dos Santos // Eleito em 15.11.1972, tendo a seu lado o vice-prefeito David Pereira Braga, cumpriu mandato de 01.02.1973 a 31.01.1977;
69 – Chibly Calil Abrahim // Eleito em companhia do vice-prefeito Mustafa Milton Amed, governou Itacoatiara no período 01.02.1977-31.01.1983;
70 – Getúlio Juliano Borsa Lima // Presidente da Câmara: respaldado em decisão judicial prolatada pelo juiz de Direito Ari Jorge Moutinho da Costa, assumiu a Prefeitura em 28.02.1981. Decisão revogada em menos de 48 horas pelo Tribunal de Justiça do Estado, mandou que Chibly Calil Abrahim retornasse ao posto;
71 – José Resk Maklouf // Presidente da Câmara Municipal em 1979-1981. Face à renúncia do vice-prefeito Mustafa Milton Amed, em 10.04.1979, diversas vezes foi alçado interinamente ao cargo de prefeito;
72 – Mamoud Amed Filho // Eleito chefe do Executivo juntamente com o vice-prefeito Flávio Guimarães da Silva, governou de 01.02.1983 a 01.01.1989;
73 – Francisco Pereira da Silva // Prefeito Municipal: governou com o vice-prefeito José Resk Maklouf no período 01.01.1989 a 31.12.1992;
74 – Arialdo Guimarães da Silva // Presidente da Câmara Municipal em 1989-1990 e prefeito interino em setembro/1989;
75 – Mamoud Amed Filho // Prefeito Municipal, ladeado pelo vice-prefeito Miron Osmário Fogaça, seu mandato transcorreu de 01.01.1993 a 31.12.1996;
76 – Miron Osmário Fogaça // Tendo a seu lado o vice-prefeito João Batista Santana de Almeida, governou Itacoatiara de 01.01.1997 a 31.12.2000;
77 – Mamoud Amed Filho // Prefeito municipal eleito em companhia do vice-prefeito Tibiriçá Valério de Holanda. Governou de 01.01.2001 a 31.12.2004;
78 – Mamoud Amed Filho // Reeleito gestor do Município, com o vice-prefeito Jander Rubem Ferreira Nobre. Período de governo: 01.01.2005 a 31.12.2008;
79 – Antônio Peixoto de Oliveira // Prefeito eleito, com o vice-prefeito José Augusto Queiróz, para dirigir o Município de 01.01.2009 a 31.12.2010;
80 – Raimundo Silva // Presidente da Câmara Municipal. Em virtude da cassação do prefeito Antônio Peixoto de Oliveira, assumiu interinamente o governo que o exerceu de 17.10 a 21.10.2009;
81 – Donmarques Mendonça // Segundo colocado nas eleições de 05.10.2008: por força de decisão judicial recebeu do presidente da Câmara Raimundo Silva as rédeas da Prefeitura onde esteve de 21.10 a 16.11.2009. Afastado, nova decisão prolatada pelo TRE-AM fê-lo reocupar o posto onde se manteve de 30.11.2009 a 08.02.2010;
82 – Antônio Peixoto de Oliveira // Respondendo a um processo de cassação teve seu mandato suspenso em 17.10.2009. Retornou em 16.11.2009, porém foi novamente afastado em 30.11.2009. Recuperou o cargo em face de uma liminar da lavra do ministro Ricardo Lewandowski, do TSE, datada de 08.02.2010. Graças à extinção do processo, em 06.04.2010, pôde concluir seu governo em 31.12.2010;
83 – Mamoud Amed Filho // Prefeito pela quinta vez. Eleito juntamente com o vice-prefeito Jhoselito Barbosa Aristóteles, para administrar o Município de Itacoatiara no período de 01.01.2013 a 31.12.2016.

 

P. S. Material coligido dos seguintes livros de Francisco Gomes da Silva: Itacoatiara. Roteiro de Uma Cidade, 1ª edição, 1965, e 2ª edição revista e ampliada, 1997 / Cronografia de Itacoatiara, 1º volume, 1997, e 2º volume, 1998 / e Câmara Municipal de Itacoatiara (Sinopse Histórica), 2010.  No concernente ao período colonial foram consultadas as obras de Alexandre Rodrigues Ferreira, Bernardo Pereira de Berredo, Francisco Xavier Ribeiro de Sampaio, João Filipe  Bettendorff e Serafim Leite.
Contatos: franciscogomes.hist@hotmail.com ou através do celular (092)9988-8305.
Compartilhar

2 COMENTÁRIOS

  1. Há um equivoco no período de administração do Sr. Antonio Peixoto. Foi eleito para dirigir o município de 01.01.2009 a 31.12.2012 e não até 31.12.2010..

    • Realmente, Cordovil. Só agora descobri o seu comentário (devo confessar: procedente e elogiável). Solicito perdoar-me pelo atraso em corrigir o texto, que o faço agora, com muita satisfação… Apenas um erro involuntário… Satisfaz-me, entretanto, saber que somos lido pelo amigo. Continue assim, honrando a história de nossa terra. Peço recomendar a seus amigos e familiares a leitura e o acompanhamento deste blog. Disponha sempre que precisar.
      Grande abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui