Estou preocupado com minha querida tia Idalina. Achei-a depressiva. Nunca tinha visto titia tão triste. Disse-me estar cansada das restrições da quarentena.

Ficou abalada por não ter havido o desfile de Sete de Setembro. Pela primeira vez, em anos, deixou de ir à parada. Idalina é filha de ex-combatente da II Guerra. Tem o maior orgulho. Diz sempre que ele colocou a vida em risco pela liberdade. Foi para Itália no quarto escalão da FEB, em novembro de 1944.

Seu pai desfilava todo dia 7 de setembro. Primeiro aqui em Manaus, na Avenida Eduardo Ribeiro. Depois quando se mudaram para o Rio, no Aterro do Flamengo. Até morrer. Idalina nunca perdeu um desfile.

Com o cancelamento da parada por conta da pandemia, ficou desolada. Perguntou-me se teria sido cancelada ou se foi adiada. Lembrou que alguns eventos tinham sido adiados para novembro. Deviam fazer o desfile dia 15 de novembro, dia da Proclamação da República.

Aconselhei a titia a mandar sua ideia de fazer o desfile dia 15 de novembro para o Palácio do Planalto. Mas acho pouco provável que seja aprovado. Aglomerações parecem estar proibidas até o fim do ano.

Idalina recordou o tempo em que ela também desfilava. Era aluna do Colégio Estadual Pedro II. Foi baliza da banda do colégio. Lembrou-se de seu bastão, todo enfeitado. Marchava à frente da banda com garbo, dança e beleza. Sua função era atrair a atenção das pessoas para a maravilhosa banda do Colégio Estadual.

Idalina apresentava-se com orgulho e simpatia. Depois corria para esperar seu pai desfilar junto com os outros expedicionários, heróis da pátria.

O cancelamento da parada abalou Idalina. A preocupação dela agora é se vão cancelar a Missa do Galo. Outro evento anual que ela não perde. Reclamou que nos últimos anos as missas são rezadas as 21.00 horas e não mais a meia-noite.

Disse-lhe que na Catedral de Saint Patrick em Nova Iorque a missa é meia-noite. Chamada de Midnight Mass. Muito disputada. Vamos reservar ingressos com antecedência. Que tal passar o Natal em Nova Iorque? Fiz essa promessa para alegrar a titia. É só o corona ir embora.

-Xô corona! exclamou Idalina.

Compartilhar
Pedro Lucas Lindoso
*Bacharel em Direito e licenciado em Letras pela Universidade de Brasília. Membro efetivo do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Pertence a Associação dos Escritores do Amazonas e a Academia de Letras Ciências e Artes do Amazonas. Membro fundador da Academia de Ciências e Letras jurídicas do Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui