Após buscar cura para o espírito e para o corpo físico aqui no Planalto Central atrai-me sempre vir até a Capital do 3º Milênio, para admirar o majestoso traço do emblemático Oscar Niemeyer que, pelo conjunto, teve toda obra incluída como Patrimônio da Humanidade… Sustentada por 16 vigas de concreto, como se fora mãos postas para o Céu agradecendo a Deus pela existência e em prece rogando “paz aos homens de boa vontade”, a obra se impõe como um dos monumentos mais estudados pelos arquitetos do mundo inteiro.

Guardando o espaço sagrado três apóstolos gigantes estão a postos: Mateus, Marcos e Lucas estão do lado esquerdo de quem entra no templo, enquanto apenas João, o Evangelista encontra-se ao lado direito. Neste mesmo lado, no solo, situa-se o Campanário, ou seja, estrutura com quatro sinos doados pelo governo espanhol, batizados como Santa Maria, Pinta e Nina em homenagem a Cristovão Colombo e; Pilarica, uma referência a Nossa Senhora do Pilar, santa espanhola.

No interior, isto é, no subsolo da nave vislumbramos vitrais de Athos Bulcão ilustrando inúmeros momentos da vida cristã ao lado dos da artista franco-brasileira Marianne Peretti. Do mesmo modo no pilar direito quadros de Di Cavalcanti mostram uma analogia a Via Crucis. Ao lado direito ainda constam Pietta,  a única réplica de Michelangelo, autorizada pelo Vaticano, estando próxima a escultura de Bom Bosco, santo e padroeiro da cidade mística. Encimada, em uma berlinda, a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira da Catedral Metropolitana de Brasília, nos vigia com amor.

Acima três arcanjos: Gabriel, Rafael e Miguel fazem a alegria da vista celestial, e, parecem estar a voar lentamente sobre os fiéis. A cúpula alcança 40m de altura e é de vidro temperado para resistir a temperaturas extremas do Centro-Oeste. O altar central foi doado pelo Papa Paulo VI. No entanto ainda encontramos a cruz da 1ª Missa, lavrada pelos candangos, trabalhadores que construíram a nova capital.

Foi neste clima que, acompanhado do luthier Isaias Antonio, às 12:15h de sexta-feira(21.12.18), sem flash, selfies e em silêncio total que assisti uma missa, oficiado pelo padre Lucas que, na homilia, discorreu a respeito da visita da Virgem Maria a Isabel (Lc. 1:39-80), na Judéia. Uma viagem pela História da Humanidade que ainda, continua no coração do homem.

Imagine, caro internauta, esta cena há dois milênios: A felicidade de João Batista, no ventre de Isabel, exultante pela visita da humilde serva do Senhor, extraordinária mulher que trazia em seu ventre o menino Jesus. Neste momento Isabel proclamou a oração principal que dá origem a Ave-Maria: ‘bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre’. Segundo o apostolo Mateus, uma estrela cintilante  guiou os Reis Magos Melchior, Balthazar e Gaspar vindos do Leste a uma manjedoura, como  ensinavam nossos pais em Itacoatiara.

Anteriormente entrei em contato com o oficiante para que a missa fosse em Ação de Graças pela saúde, trabalho e prosperidade em intenções das servidoras públicas Eliana Torres Santos e Doralice Godinho Costa, pedagoga e nutricionistas da EE Luiz Vaz de Camões, no Japiim, em Manaus, pelo tanto que fazem por nós, alunos e professores.

Como sempre afirmava Juscelino Kubistchek  em vários discursos, daqui, do inóspito cerrado brasileiro, diante da missão cumprida neste Planalto Central, seguimos para  o estado que José de Anchieta e Manoel da Nóbrega criaram no Páteo do Colégio,  em homenagem ao mais jornalista dos apóstolos, na continuação da peregrinação até o Santuário Nacional de Aparecida, padroeira do Brasil.

Feliz Natal!

Compartilhar
J.R Lopes
É jornalista. Natural de Itacoatiara (AM).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui