claudio bernardes
*Claudio Bernardes

Chegada da Covid-19 aumentou a demanda por soluções para tornar ruas e outros espaços públicos seguros e sociáveis.

O urbanismo tático, também conhecido como prototipagem urbana, é baseado em intervenções eficientes de curto prazo, baixo custo e escalabilidade, que possam catalisar mudanças de longo prazo.

Tornar as cidades mais seguras e inclusivas está se tornando o foco central do desenvolvimento urbano.

Mundialmente, cidades poderiam usar a abordagem do urbanismo tático para aprimorar o ambiente construído e atender às necessidades das pessoas.

Como as cidades responderam à pandemia do novo coronavírus


Bandeira com a frase “cancele o aluguel” vista num protesto do dia do trabalho na Times Square, em Nova York Mike Segar/REUTERS


Bandeira com a frase “cancele o aluguel, Cuomo [governador de Nova York]” pendurada num prédio no Brooklyn, em Nova York Stephanie Keith/Getty Images/AFP

A chegada da Covid-19 nas cidades aumentou a demanda por soluções de urbanismo tático, a fim de tornar ruas e outros espaços públicos seguros e sociáveis, por meio de projetos rápidos, baratos e capazes de, gradualmente, serem adaptados para atender às premências da comunidade.

Reinventar os espaços públicos em momentos como os que atravessamos torna-se extremamente importante. As mudanças imperativas no modo de vida trazem a oportunidade de reconsiderar para que servem, para quem são, e como as ruas e os locais públicos podem ser temporariamente ajustados com intervenções eficientes, rápidas e de baixo custo.

Durante o início da pandemia na Índia, espaços públicos e ruas foram oficialmente declarados “zonas de risco”. Contudo, espaços abertos e reestruturados serviram como centros de operações na pandemia, utilizados para distribuição de alimentos, como unidades de atendimento médico, mercados temporários, e outras necessidades. Medidas como essas caracterizam o urbanismo tático na luta contra pandemias.

Pesquisadores do WRI (World Research Institute) publicaram, recentemente, artigo onde são levantados os principais aspectos a serem considerados na aplicação do urbanismo tático em épocas de pandemia. Soluções de rápida implementação e boa relação custo-benefício reduzem o risco de o projeto falhar, especialmente se ele for de curto prazo.

O urbanismo tático pode atuar como uma ponte entre a conceituação e a implementação de projetos. Ao testar soluções locais, elas não apenas ajudam as cidades a validar investimentos em larga escala para implementação permanente, como também -por meio da conscientização a possibilitar que as soluções temporárias tornem-se, eventualmente, permanentes.

A natureza do urbanismo tático é adaptativa e pode ajudar a criar soluções imediatas, que respondam às necessidades dos bairros durante períodos de emergência.

Depois que as urgências são identificadas, as soluções podem ser aplicadas para as funções e instalações temporárias essenciais, em pequena escala, num primeiro momento, mas com condições de serem expandidas para toda a cidade.

Queixas ligadas à pandemia lideram o ranking da Ouvidoria de SP

Aglomeração de pessoas no centro de SP; assuntos relacionados à pandemia assumiram a liderança no ranking de reclamações da capital Rivaldo Gomes/Folhapress

Não se pode desprezar que essa forma de prototipagem urbana apresenta uma oportunidade única de trazer coerência entre órgãos públicos e comunidades, para que se alcancem soluções mais próximas das realidades e necessidades da população.

A prática de consultas pelo governo junto às partes interessadas, para buscar informações e monitorar as necessidades dos bairros, pode ajudar a construir microecossistemas urbanos mais eficientes.

Os pesquisadores afirmam, ainda, que abordar questões por meio do urbanismo tático ajuda a alcançar a conscientização do público em dois níveis. Primeiro, o planejamento físico por meio de mudanças temporárias, em pequena escala, ajuda a demonstrar a extensão da segregação física necessária nos espaços públicos de forma mais ampla.

E num segundo nível, esse tipo de reorganização do espaço faz com que as pessoas observem a norma imposta, enquanto desenvolvem a necessária consciência em função de sua experiência como usuários.

É imperativo reconhecer o potencial do urbanismo tático para o desenvolvimento de “modelos híbridos”, que produzam melhorias nas cidades durante crises pandêmicas, bem como para a estruturação de soluções de longo prazo, baseadas em experiências bem-sucedidas.

*Engenheiro Civil. Artigo na Folha de São Paulo, Caderno Opinião, de 30/08/2020.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui