O autocuidado depende diretamente de sete pilares: conhecimento; informação e bem estar físico mental; atividade física adequada à sua própria constituição e idade; dieta equilibrada; evitar comportamentos arriscados; boa higiene corporal e uso racional de produtos farmacêuticos e cuidados médicos. Assim atuando nestes princípios básicos, com certeza estará cuidando da sua própria saúde.

Não devemos delegar aos médicos o que é de nosso interesse e dever para bem viver. O mundo atual enfrenta este que é um grande problema: delegar tudo aos serviços públicos de saúde. Diante de questões tais como parar de fumar e de beber em excesso bebidas alcoólicas, emagrecer e começar a fazer corretamente exercício, os médicos quase nada poderão fazer já que estes itens dependem diretamente do autoconvencimento. Por isso, acredito que teremos que mudar o pensamento e entender que há um grande ganho em termos de qualidade de vida se tomarmos algumas atitudes positivas por nós mesmos.

Será que já existe algum lugar no mundo atual em que se pratique o autocuidado como hábito? Na China a visão holística sobre a vida levou precocemente a essa prática, principalmente em função de que no passado não existia serviço público de saúde confiável. Logo, era cada um por si e Deus por todos. Porém, é óbvio que a existência de um serviço de saúde confiável será sempre muito bom, mas não que você tenha que depender totalmente destes serviços.

Os benefícios desta orientação são ganhos de produtividade sobre todos os aspectos, pois ao se evitar aumentar os custos com a saúde o governo ao arrecadar mais impostos pode e deve aumentar os investimentos em educação, saúde e segurança.

No futuro é provável que os médicos mudem sua atuação. Não podemos mais manter este modelo cujo custo só tem aumentado sem retorno efetivo. Estamos carentes de promotores de saúde. O médico do futuro deverá ser um facilitador do autocuidado, pois se conseguirmos prevenir 80% de 100% dos casos crônicos ainda restarão 20% de casos que necessitarão de cuidados especiais. Daí teremos que tomar providências para dar o suporte que estes 20% carecem.

Pense nisso. Faça a sua parte. Adote um comportamento preventivo, principalmente do ponto de vista da saúde. Suas finanças e familiares lhes agradecerão. E o país também.

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui