Na era auge do rádio, os comunicadores tinham orgulho da quantidade de ouvintes. Com a chegada da televisão a luta pelo maior número de telespectadores se intensifica. Escritores buscam leitores. Igrejas desejam aumentar o número de fiéis. Comerciantes a clientela.

Há pouco tempo os jornais concorrentes disputavam por uma maior tiragem. Quanto maior a tiragem, mais prestígio tinha o jornal. Para muitos especialistas, mais importante que a tiragem é a efetiva circulação. A diferença consiste no número bruto de exemplares impressos de determinada publicação. Muitos periódicos para se auto valorizarem faziam uma tiragem bem maior que o necessário. A circulação é que de fato representa o número de exemplares que chegam às mãos dos leitores.

Um amigo jornalista me explicou que o que caracterizava um jornal de grande circulação era o seu serviço de assinaturas e quantos exemplares eram vendidos nas bancas. A distribuição, portanto, era de suma importância nos negócios e na administração de qualquer periódico.

Com a internet as coisas mudaram e os critérios também. Cada vez mais um menor número de pessoas compra o jornal físico. Lê-se tudo pelo computador, tablet ou smartphone.

Hoje não se buscam mais tantos os leitores, mas os seguidores. Há uma briga feroz por seguidores. Profissionais de mídia, blogueiros, influenciadores, artistas e celebridades contam diariamente, minuto a minuto, o número de pessoas que acessam seus canais. São os seus seguidores. E pedem que se inscrevam em seus canais. Imploram por inscrições. Claro, quanto mais inscritos, mais seguidores e consequentemente mais audiência e mais lucro.

Gosto muito de ser leitor. Sou ouvinte de rádio e telespectador de alguns programas de televisão. Mas não me sinto confortável em ser seguidor de seu ninguém. Ora, seguir é um verbo transitivo direto. Significa acompanhar alguém, ir na mesma direção. Quer dizer também ter como padrão ou exemplo. Admirava muito meu pai. Sempre procurei seguir seus passos.

Seguir significa imitar, possuir a mesma opinião. E o mais importante é que seguir também tem um significado bem específico: permanecer próximo. Não quero ser seguidor de qualquer um.

Estamos no Natal, prefiro seguir Aquele que se faz Menino todo ano e veio para nos salvar. E não faltou convite. Ele mesmo falou aos seus discípulos:

– Segue-me.

Compartilhar
Pedro Lucas Lindoso
*Bacharel em Direito e licenciado em Letras pela Universidade de Brasília. Membro efetivo do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Pertence a Associação dos Escritores do Amazonas e a Academia de Letras Ciências e Artes do Amazonas. Membro fundador da Academia de Ciências e Letras jurídicas do Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui