Muitas vezes cobramos tanto dos outros para que sejam pessoas melhores, mais decididas, amigas e respeitosas, que esquecemos que nós também falhamos em muitos momentos da vida. Mas, quem não é passível desse comportamento. Contudo, temos que estarmos preparados para mudarmos e nos tornarmos cada vez mais um ser humano melhor em todos os aspectos.

O primeiro passo é parar de reclamar e pensar sempre positivo. Quem não reclama nessa vida? Todos nós! O problema é quando este comportamento vira um ato contínuo. Ou seja, se repete diariamente e dele nada se extrai de bom. Afinal, qual é a utilidade de reclamar, senão a de melhorar serviços, comportamentos, meio-ambientes? A partir do momento que só se reclama por reclamar, para se ter assunto ou fazer parte de um grupo, os resultados que conquistamos é uma sociedade negativa, depressiva, sem ambições e esperanças futuras. Então se quiser reclamar, pelo menos resolva o motivo do seu descontentamento, senão, é tempo perdido para você e para todos os que lhe escutarem.

Seja humilde e reconheça seu erro. Admitir que erramos é difícil, traz constrangimentos, críticas, porém, pode nos ajudar a melhorar, a avançar e a evoluir. Fora que evita que outras pessoas paguem por nossos erros. Além disso, se não nos responsabilizamos pelo que fazemos, com certeza, em algum momento, seremos culpabilizados por coisas que não cometemos.

Seja um eterno aprendiz. Ninguém nasce sabendo tudo e nem tem obrigação. Porém, se mostrar como especialista de algo sem o sê-lo é irresponsável e pode trazer consequências graves. Se for analisar bem, verá que é mais sábio e nobre admitir sua ignorância, mas mostrar vontade de aprender, do que se mostrar o “bacana” e falhar com as pessoas em momentos significativos.

Quem não gosta de deixar para amanhã o que pode ser resolvido hoje? De regime e exercícios, a resolver papeladas burocráticas, como pagar contas ou fazer a declaração de imposto de renda, parece que quanto mais adiamos, mais tempo de lazer teremos. Ledo engano! Se temos uma semana para realizar algo e deixamos para fazer no último dia, isso significa que ficaremos seis dias nos cobrando mentalmente e, por isso, não relaxando de verdade;

Faça sua parte. Parece simples, mas não é. Fazer sua parte não é só pagar contas, não roubar, não matar e viver uma vida “honesta”. Fazer sua parte, é se sentir integrante do “Todo” e, assim, se interessar   por esse “Todo”.  É não poluir o planeta, produzir barulho, contribuir com a corrupção, é não patrocinar produtos ou programas de TV tendenciosos, é não ficar passivo frente aos acontecimentos, e principalmente viver fazendo e falando coisas maldosas e etc.

Faça sua parte se tornando melhor não só no aspecto espiritual, físico ou emocional, mas, sobretudo no “TODO”, Com certeza se todos estarem aptos    a melhorar nem que seja em um por cento a cada momento da vida, Deus agradecerá e o mundo se tornará bem “MELHOR”.

Compartilhar
Fabiolla Fonseca
Psicóloga, nascida em Itacoatiara, casada e mãe de duas filhas. Especialista em Psicologia Jurídica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui