No Brasil os homens vivem em média 7 anos a menos que as mulheres e infelizmente esta causa está relacionada muitas vezes com fatores comportamentais. A maioria dos homens não dá atenção para a saúde como deveriam. E apesar das mulheres serem protegidas pelos hormônios, ao longo do tempo a taxa de mortalidade masculina aumenta devido à displicência em cuidar da própria saúde.

Tivemos como exemplo este mês de novembro que foi dedicado a conscientização sobre os cuidados integrais à saúde do homem. As patologias que mais atingem a população masculina ao redor do mundo são: problemas cardiovasculares como, infarto do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, arritmias.

Obesidade, diabetes, câncer de próstata, cirrose, e outros tantos problemas com o fígado é doenças pulmonares obstrutivas crônicas.

Ainda temos uma lamentável estimativa de morte por câncer de próstata que é a segunda causa de morte nos homens no Brasil. A ‘recomendação médica é que a partir de 50 anos os homens comecem a fazer exames de prevenção a este tipo de câncer e realize uma vez por ano, porém, por puro preconceito, ainda há uma baixa procura para o rastreamento da doença, dificultando assim o diagnóstico precoce que poderia aumentar as chances de cura do paciente.

Há também outro fator que vem sendo negligenciado pelos homens: sua saúde mental A qual também encontra resistência na busca por ajuda médica e até mesmo dentro da própria família. Os homens são tomados por maus hábitos que comprometem a qualidade de vida, culturalmente acham que o estresse e a famosa gordurinha na circunferência abdominal fazem parte do estilo de vida e só recorrem aos consultórios quando realmente uma doença está instalada.

Doenças crônicas, como diabetes e hipertensão passam a fazer parte da rotina do homem também por dificuldades dos mesmos em aderir um estilo de vida saudável, por este motivo percebemos um grande número de mulheres mais ativas e com um envelhecimento mais funcional.

Portanto, quero convocar todos os homens a mudar primeiramente sua concepção sobre saúde. Apesar de ganharmos mais expectativa de vida neste novo século, precisamos envelhecer com mais qualidade. Nunca é tarde para adquirir bons hábitos, então mude agora. Evite o tabagismo e o alcoolismo, procure ajuda para combater estes vícios. O sedentarismo é outro fator primordial, mas lembre-se de fazer antes uma avaliação para iniciar atividades físicas, a caminhada lenta de 30 minutos por dia já faz uma grande diferença. E por último e não menos importante, cuide da sua alimentação, evite o excesso de sal, açúcar, trigo, gorduras saturadas e beba diariamente nunca menos que dois litros de água.

Encare os seus próprios medos e preconceitos e procurar fazer seu check-up médico anualmente.

Cuidem-se e vivam melhor!

Compartilhar
Euler Ribeiro
*Amazonense de Itacoatiara. Médico, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia. Ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal pelo Estado do Amazonas. Fundador e atual Reitor da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade. Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui