Discurso proferido em sessão especial na Câmara Municipal de Itacoatiara, aos 5 de dezembro de 1994, em homenagem ao ex-prefeito Raimundo Perales (1)

Senhor Presidente;

Senhores Vereadores;

Senhor Raimundo Perales;

Senhores Parentes de tão ilustre personalidade;

Meus Senhores e minhas Senhoras:

A presente sessão, instalada solenemente para homenagear um cidadão exemplar e grande homem público, objetiva acima de tudo resgatar uma dívida que Itacoatiara tem para com Raimundo Perales, sem sombra de dúvida um de seus mais operosos administradores.

Em mais de duzentos anos de História, a velha Serpa tem acalentado e nutrido em seu fértil regaço muitos ilustres filhos adotivos. Alguns que já se foram amaram-na desmedidamente, outros por ela se sacrificaram, no geral todos deixaram marcas de trabalho e de progresso. Os que ficaram, tal qual os naturais daqui, continuam almejando um futuro próspero à terra querida e alimentando sonhos e esperanças.

Abastraindo alguns aventureiros que para cá vieram e, apenas se servindo da terra generosa e hospitaleira, formaram grande patrimônio à custa das nossas riquezas e do suor do nosso povo, verdade é que Itacoatiara beneficiou-se largamente com a migração de grupos procedentes de várias partes do Brasil e do exterior. A maior e mais expressiva parcela do nosso patrimônio urbano, econômico, social, artístico e cultural devemos aos nossos irmãos adotivos. Exemplifico: o norte-americano Jazon Williams Stone; o espanhol Aquilino Barros; os portugueses padre Joaquim Pereira, Óscar Ramos, José Joaquim Antunes, Augusto Vasconcellos, José Brandão e Manoel Oliveira Lamarão; os italianos José Sarube, José Natal Gonela e Carlos Yanuzzi; o francês Emílio Chenivesse; os judeus Isaac José Perez e os irmãos Marcos e Moysés Ezagui; os sírios-libases Abdon Mamede e Nassib Monassa; o japonês Toshizo Nakajima; os nordestinos Abdias de Paiva, Vicentinho Mendonça e Antônio de Araújo Costa; e os paraensee Cassiano Secundo e Silvino Montenegro, dentre tantos.

Vossa Excelência, Senhor Raimundo Perales, foi um dos migrantes-benfeitores que, ao escolher Itacoatiara para viver e trabalhar, plantou semente fértil, distribuiu benesses e aqui deixou rastros de luz. Nascido em Mossoró, Rio Grande do Norte, aos 13 de dezembro de 1897, logo transferiu-se com a família para o interior do Ceará, estabelecendo-se em Camocim, onde teve infância pobre e sacrificada. Sofreu na própria carne o drama da seca impiedosa que, ainda hoje, assola a heróica população do Nordeste brasileiro.

Raimundo Perales ainda novo

Muito jovem, aos 17 anos de idade, em plena primeira guerra mundial, Vossa Excelência veio ter a Itacoatiara, em 1914, para trabalhar como escriturário na firma J. Adonias & Cia., casa de representação e comércio exportador, cuja sede instalava-se onde é atualmente a Casa das Tintas, na rua Cassiano Secundo. Posteriormente, passou a trabalhar com Antônio de Araújo Costa, que houvera assumido o ativo e o passivo da referida empresa. Durante mais de 40 anos chefiou o complexo comercial e industrial de Araújo Costa & Cia., composto de uma serraria, uma saboaria e uma destilaria de essência de pau-rosa, que chegaram a empregar algumas centenas de trabalhadores.

No escritório da empresa, sob o comando de Vossa Excelência, trabalharam muitos jovens, capacitaram-se, sentiram-se profissionalmente valorizados. As experiências que advieram das atividades sob a sua diretriz marcaram-no profundamente. Um daqueles moços, hoje um homem da terceira idade, encontra-se neste plenário participando desta homenagem, reverenciando ao antigo chefe e se emocionando com ele. Trata-se do ex-escriturário Manoel Marques de Souza.

Senhor Raimundo Pereales: na sua juventude, Vossa Excelência frequentava o Bosque “Àlvaro Maia”, em frente ao prédio da Prefeitura, e tomava parte nas serenatas noturnas regadas à aguardente “Genebra”, de procedência suíça, adquirida nos navios da Booth Line que aportavam nesta cidade. Serestas ao som do clarinete de Roldão Alves e do violão de Ubirajara Fona. Sabemos que, nos dias de hoje, talvez para relembrar aqueles belos tempos, Vossa Excelência ainda é chegado a um copo de cerveja e aprecia um trago de aperitivo.

Vossa Excelência também era um apreciador dos passeios nos carros de luxo de Alípio Teixeira e José Oliveira, e assíduo frequentador nos finais de semana dos passeios às fazendas “Ventura” e “Cacaia”, de João Batista de Araújo Costa e Alexandre José Antunes, respectivamente. Suas viagens a Manaus davam-se através dos paquetes do Loide Brasileiro ou dos hidroaviões da Panair do Brasil.

Participante ativo da vida social itacoatiarense, Vossa Excelência frequentava o clube que ajudou a fundar: Amazonas Futebol Clube, cuja sede era em cima da Farmácia do Chico Athaide, ao lado dos consócios Armindo Magalhães Ausier, Sebastião de Vasconcellos Dias, Almir Andrade de Menezes e Marcos Esteves, entre outros. Era saudável a rivalidade mantida com o Botafogo Futebol Clube, frequentado pelos seus amigos Hely Ruben de Paiva, Manoel Oliveira Lamarão, Adamastor de Figueiredo, José Rebelo de Mendonça, Ilídio Ramos e outros.

Senhor Raimundo Perales: muitos dos ilustres contemporâneos seus que, em tempos idos, estiveram em estreita e saudável convivência com Vossa Excelência, aqui não se fazem presente: deram a alma ao Criador. Entretanto, vários desses extintos aqui estão representados pelos filhos, netos e outros parentes.

Fotografia da Senhora Adelaide Cordeiro Perales, esposa de Raimundo Perales

Vossa Excelência, iluminado por Deus, casou-se em Manaus com dona Adelaide Cordeiro Perales (2), da família Magalhães Cordeiro, de Maués, que a conheceu nas muitas viagens de negócios realizadas à capital amazonense. Por mais de quatro décadas o casal residiu nesta cidade, primeiramente na Avenida 7 de Setembro, vizinho à casa de Adamastor de Figueiredo; posteriormente nas proximidades do grupo escolar Coronel Cruz; e, finalmente, na histórica e confortável casa da Avenida Conselheiro Ruy Barbosa, em frente à Igreja de São Francisco de Assis.

Com a queda da antiga Igreja Matriz, nos idos de 1930, Vossa Excelêrncia muito colaborou na campanha liderada pelo padre Joaquim Pereira para a construção da atual Matriz de Nossa Senhora do Rosário. Mas, é preciso destacar: suas principais obras foram realizadas quando, à frente da Prefeitura Municipal, foi impecável em conduta e revolucionário em ação administrativa. Organizado e experiente, reuniu uma boa equipe de trabalho e fez muito por Itacoatiara, especialmente nos setores de desenvolvimento urbano, arborização da principal avenida, abastecimento d’água e iluminação pública.

Raimundo Perales com os filhos ao completar 100 anos. Sentada ao seu lado Flávia Perales. Em pé, da esquerda para direita: Maria Isabel, Fernando, Waldemar, Lúcia e Célia Perales.

Vossa Excelência meteu-se na política partidária apadrinhado pelo senador Cunha Melo e pelo deputado Ruy Araújo, próceres do antigo PSD. Seu principal assessor era seu amigo Palmério Teixeira Pinto. Apesar do insucesso na primeira sortida eleitoral, Vossa Excelência não se abateu. Candidato a prefeito nas eleições de 3 de outubro de 1951, indicado pelo então prefeito e seu chefe empresarial Araújo Costa – foi fragorosamente derrotado pelo candidato do PTB Teodorico de Almeida Nunes. O contraste é que Teodorico era funcionário da serraria Santo Antônio, do grupo Araújo Costa & Cia., e, portanto, funcionalmente subordinado a Vossa Excelência. A vida seguiu e, mais adiante, o sucesso bateria à sua porta.

Disse-me Vossa Excelência, quando o entrevistei em Manaus, no dia 10 de outubro de 1987, que a vitória de Teodorico Nunes foi motivada pelo movimento trabalhista vivido à época no País e influenciado pelo presdente Getúlio Vargas. Teodorico Nunes era um homem falante, getulista, e em seus discursos dissertava sobre salários justos, direitos sociais – tudo que o eleitorado menos escolarizado gostava de ouvir.

Ainda assim, deve ter sido desapontador a Vossa Excelência: candidato oficial do prefeito Araújo Costa e do governador Àlvaro Botelho Maia, perder para um subordinado, um simples operário – sem deixar de considerar que Teodorico contava com o entusiástico apoio de um grupo de idealistas, homens de sua geração, entre eles Vicente Mendonça Júnior, Francisco de Assis Peixoto, Manuel Burrego e Pedro Chagas, habituados a falar em público, donos de um discurso forte.

Conforme apuramos há alguns anos atrás, Vossa Excelência, além de amargar a derrota eleitoral, também experimentou a decepção de ouvir foguetes de assobio espocarem sobre sua residência, soltados por uma antiga correligionária que, após o pleito eleitoral, bandeara-se para o grupo adversário. O curioso é que, à vista do insucesso administrativo do prefeito Teodorico Nunes, que viria a ser cassado pela Câmara Municipal, na eleição seguinte sua eventual opositora redimir-se-ia e votaria outra vez em Vossa Excelência.

Raimundo Perales saboreando um prato de tartaruga.

Na segunda tentativa de eleição à Prefeitura Vossa Excelência enfrentou um homem público de raras qualidades morais, o senhor Acácio Soares de França Leite, e Vossa Excelência saiu-se vitorioso sem deixar de ressaltar, fazendo justiça ao contendor: “Acácio é um homem honesto e trabalhador; um adversário leal”. Entre os correligionários de Vossa Excelência contavam-se: o coletor federal Estácio Alencar, os vereadores José de Aquino e João Valério, o deputado e seu genro José Austregésilo Mendes, Tércio Araújo da Silva, Jurandir Pereira da Costa e Francisco Ferreira Athayde. Estavam entre os correligionários de Acácio Leite, dentre outros: Antônio Vital de Mendonça, Luiz Serudo Martins, Adamastor de Figueiredo, Assis Peixoto e Paulo Sampaio.

Tem sido doloroso para Vossa Excelência, senhor Raimundo Perales, de quando em vez tomar conhecimento de que vários dos relacionados desapareceram, saíram desta para melhor. Por outro lado, Vossa Excelência tem razões de sobra para alegrar-se quando vê diante de si, neste plenário, um Jurandir Pereira, um Francisco Athayde, um Paulo Sampaio – fizeram questão de estar aqui; compareceram para também homenageá-lo. Bom seria se todos pudessem estar aqui, correligionários e adversários. Seria o encontro da Política sem ódio, que constrói, que não deixa fissuras. Se assim fosse, a vida itacoatiarense e, por extensão a amazonense, ganharia em qualidade, em confraternização, em humanidade.

Raimundo Perales com os netos

Durante o governo de Vossa Excelência São José do Amatari ganhou uma escola construída em madeira de lei, e que ainda lá está servindo à população; sem dúvida uma das marcas do seu carinho pelas crianças do interior. Na sede municipal Vossa Excelência estabeleceu os primeiros alicerces do serviço público de abastecimento d’água, minorando essa necessidade da população que, antes de seu governo, vivia o drama da “lata d’água na cabeça”, coletando o precioso líquido de cacimbas e da beira do Amazonas. Criou a Usina de Força e Luz “Waldir Bouid”, mandando vir da Alemanha dois conjugados elétricos, proporcionando a iluminação da parte urbana. Antes disso, a nossa cidade vivia na mais completa escuridão.

Vossa Excelência urbanizou o centro da cidade, calçando ruas antes intransitáveis, e promoveu a arborização de várias outras, com realce para a principal Avenida; deu continuidade ao plantio de oitizeiros nas laterais do segundo e do terceiro lances do passeio central, seguindo o pioneiro trabalho do ex-prefeito Isaac Pérez. Em convênio com o governo estadual, instalou uma escola de primeiro grau no bairro da Colônia – o atual colégio “Luiza de Vasconcellos Dias”. Concluiu e aparelhou, entregando-a para pleno funcionamento, a maternidade “Senador Cunha Melo” – hoje inexplicavelmente fechada.

Na busca de informações para instrumentalizar este pronunciamento, descobri dois atributos que bem o identificaram ao longo de sua carreira política, que respondem pela admiração que ainda hoje lhe devotam eleitores que o sufragaram nas urnas e companheiros de tantas jornadas.  Uns e outros, excetuando-se os que já se foram e a despeito do passar dos anos, o tem como um grande amigo e líder inconteste. Refiro-me a duas qualidades especiais, marcantes em sua personalidade: o carisma e a lealdade. Carisma que o fez amado pelas massas e lealdade que o fez reconhecido dos correligionários. E aqui vai um exemplo:

No dia 27 de setembro de 1950, as forças da intolerância de então mandaram prender Vossa Excelência por liderar movimento popular propondo a volta de Àlvaro Maia ao governo estadual. Vossa Excelência não se intimidou e deu prosseguimento à luta, com coragem e sem ódio no coração. Álvaro Maia retornou, realmente, ao governo do Amazonas assumindo em 31 de janeiro do ano seguinte. Com isso, Vossa Excelência se credenciava como um dos mais chegados correligionários do velho “Tuxaua” no interior amazonense. Eleito prefeito em 3 de outubro de 1955, foi um dos nossos mais dinâmicos administradores. Valeu a pena ser carismático e leal.

Raimundo Perales com os bisnetos

Vossa Excelência, Senhor Raimundo Perales, é um dos poucos remanescentes vivos de uma época de grandeza moral. Um tempo em que a regra era a dignidade e a excessão a safadeza. Os mais velhos – que o conheceram e tiveram o privilégio e a honra de privar com Vossa Excelência – levam desta sessão solene a grata e feliz lembrança de um passado glorioso em que Vossa Excelência se destacou, foi um dos maiores exemplos.

Já os mais moços – alguns que nem haviam nascido à época em que Vossa Excelência geriu os destinos de Itacoatiara, levam a impressão – excelente impressão – de que é bom ser honrado, de que vale a pena ser digno.

Senhor Raimundo Perales:

Penhoradamente agradecidos pela expressão do grande amor que sempre devotou à nossa Cidade e pela meritória obra de cunho material que aqui desenvolveu trazendo melhorias à sua paisagem social e urbana, julgamo-nos no dever de aplaudi-lo e homenageá-lo. Como representante de Itacoatiara, elevo daqui o meu tributo à Verdade e o meu enaltecimento à Justiça. Nossa Gratidão Eterna à Vossa Excelência. Que Deus o abençoe e ilumine.

Muito obrigado!

Sala das Sessões da Câmara Municipal de Itacoatiara, aos 5 de dezembro de 1994.

_________________

(1) O cearense Raimundo Perales faleceu em Manaus com quase 101 anos de idade, em 24.10.1998. Eleito prefeito municipal de Itacoatiara pelo Partido Social Democrático (PSD) em 16.11.1955, tomou posse em 12.01.1956 sendo substituído pelo prefeito Acácio Soares de França Leite (PTB) em 12.01.1960.

2) Adelaide Cordeiro Perales. Natural de Maués/Am, faleceu aos 91 anos de idade, em 25 de outubro de 1992. Como primeira dama do Município foi pioneira em Itacoatiara, talvez no Estado do Amazonas: uma mulher na Chefia da agência dos Correios e Télegrafos.

Compartilhar

9 COMENTÁRIOS

  1. Caro amigo Francisco Gomes. Imagino a emoção do sr. Perales, com seu coração centenário, ao receber tão linda e merecida homenagem que a ele prestaste. Teu brilhante relato, contido nas poucas páginas de um discurso, merece destaque na história da nossa querida Itacoatiara.]

    Seria elogiável , se o Prefeito e os Vereadores dessem o nome do Sr. RAIMUNDO PERALES a uma importante praça ou rua de Itacoatiara, corrigindo a falta de uma merecida homenagem ao trabalho que ele realizou, com eficiência e honestidade, como Prefeito de Itacoatiara..

    • Realmente, amigo. Naquele dia, a Câmara Municipal estava repleta de populares. Na galeria gente de toda origem, velhos e moços. E o velho líder, semi-paralitico, sentado em sua cadeira tendo ao lado vários de seus filhos, à frente a extraordinária professora e poeta Maria Célia. Uma data realmente inesquecível. Fiz o que podia ser feito. Antes daquele dia, o silêncio, o faz-de-conta empanavam as notícias sobre o grande homem público. Depois do meu discurso – que o distribui às mãos cheias, as coisas se abriram, e a cidade passou a conhecer profundamente quem era, que é Raimundo Perales. Hoje ele é nome de rua, uma rua modesta de bairro. Mas, creia-me, vamos avançar no sentido de dar maior vazão à sua fama e ao seu merecimento… PEÇO AO AMIGO incentivar a maior divulgação deste texto. Recomende a leitura deste Blog. Um veículo midiático e interativo cujo objetivo é divulgar a Amazônia e, em especial, a nossa Itacoatiara.

  2. Prezado amigo Francisco Gomes, li com grande emoção a maneira como historiou a vida política de meu pai. Fiquei feliz com sua brilhante descrição, um relato fiel de um homem público, honesto, trabalhador e simples, realçando o legado que ele deixou à nossa querida Itacoatiara, terra onde passei minha feliz infância e juventude e que hoje lembro com grande saudade. Gostaria de ver ainda que o nome dele, que tanto se dedicou à nossa terra, tivesse um marco importante na cidade de Itacoatiara, para conhecimento de gerações futuras.

  3. Bela e emocionante a reportagem sobre meu honrado e saudoso pai Raimundo Perales. Tomei conhecimento de certas
    informacoes sobre seu legado que me surpreenderam e muito me orgulharam. Acompanhei meio usente sua administracao por ser adolescente e estudar fora
    Fui o unico de seus 7 filhos que nasceu em Itacoatiara terra que amo muito e de longe acompanho seu desenvolvimento com interesse atraves de videos no youtube. Agradeco e parabenizo a todos voces que trabalharam em tao interessante materia.

  4. Prezados amigos Lúcia e Waldemar. Os senhores têm justo por motivo para se orgulhar! Raimundo Perales realmente foi um grande homem! Amou desmedidamente a nossa Itacoatiara e realizou ali uma obra digna dos maiores elogios. Fiz minha obrigação ao descrever parte (ínfima, aliás) do que conheci dessa figura impoluta e carismática. Agora, só nos resta divulgar o texto. Façam isso, por favor!!!
    Forte abraço amigos.

  5. Sou um dos netos de Raimundo Perales . Ficamos emocionados todos, eu, minha esposa e filhas, netas portanto do homenageado, pelas doces palavras aqui colocadas em seu artigo.
    Meu avô foi um homem realmente, perdoe-me a falsa modéstia e o orgulho infantil, dotado das muitas qualidades que o senhor lhe atribuiu.
    Estará em nossas memórias e em nossos corações enquanto estivermos vivos.
    Muito obrigado

  6. Sou filha de Dulce, falecida precocemente aos 26 anos de idade, a filha mais velha de meu avô Raimundo Perales a quem o Senhor realçou, em seu discurso, o caráter de um homem público sério, discreto, trabalhador, honesto e realizador de importantes obras como Prefeito de Itacoatiara. Agradeço de coração a merecida homenagem que prestou ao meu saudoso avô.

  7. Sou Maria Isabel, a Marisa, filha caçula de Raimundo Perales. Fiquei extremamente feliz com o artigo que o Sr. Escreveu sobre a trajetória de meu pai. Como é importante valorizarmos aqueles que fizeram a diferença no mundo, numa época de grandeza moral. Meu pai foi um exemplo de homem público idôneo. Agradeço sua iniciativa e foi emocionante relembrar sua trajetória através das suas palavras.

  8. Quero expressar meus mais profundos agradecimentos e admiração ao Sr Francisco Gomes da Silva, autor da moção que originou o decreto legislativo da câmara municipal de Itacoatiara ao meu saudoso pai – Raimundo Perales – o título de cidadão benemérito por ter exercido a função de prefeito municipal de Itacoatiara, cidade inesquecível da minha primeira infância.

    Tenho guardado comigo com carinho a cópia do requerimento de 1994 em que Vossa Senhoria formulou a solicitação para a concessão aquele honroso título no qual cita as primeiras e marcantes realizações administrativas do meu pai.

    Agora, lendo o brilhante discurso proferido pelo ilustre e culto vereador por ocasião da entrega daquele título, me sinto no dever de expressar essa gratidão. Nesse discurso, estão expressos a lisura e eficiência exercidas pela administração do meu pai quando prefeito da velha Cerpa, nos meados do século XX. Quero assegurar que só valoriza a honestidade e competência quem é portador dessas mesmas hoje raras virtudes.Por isso, rogo aceitar esses preitos de gratidão e admiração que hora formulo junto com os votos de longa vida e saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui