A vontade de comer faz parte de um processo natural e ao longo de cada etapa da vida o apetite sofre mudanças pelo metabolismo dê cada individue, porém no envelhecimento ocorrem as perdas funcionais que afetam diretamente nossa alimentação, pois há modificação dos nossos sentidos: temos a diminuição do OLFATO, da VISÃO, prejudicada pela catarata, do sabor invertido pelas perdas das partículas gustativas que diferenciam os sabores amargo, doce e ácido, assim como os problemas emocionais que às vezes se instala e pode dificultar o interesse pelo alimento.

Outros fatores também contribuem com a perda de apetite na chamada terceira idade, que podem ser resultado de alta ingestão de medicamentos, problemas dentários, na maioria das vezes em consequência de próteses, doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e outras doenças que debilitam o nosso organismo. Nesta fase da vida acelera também a perda da massa muscular, o que pode comprometer o estado nutricional do nosso corpo.

Por outro lado, temos um hormônio produzido pelo estômago chamado de Grelina, conhecida como o hormônio da saciedade e que é responsável por estimular o apetite. Existem também outros hormônios que controlam nossa vontade de comer, contudo nos idosos há uma diminuição na produção dos mesmos, o que pode causar a subnutrição no envelhecimento.

O que fazer para contornar todos estes obstáculos e fazer com que o idoso volte a ter prazer em se alimentar e se alimente adequadamente?

Primeiramente devemos incluir uma dieta rica em alimentos saudáveis. Infelizmente estimulamos nosso paladar com doces e alimentos gordurosos desde a infância e estranhamos o sabor amargo das verduras e frutas. O melhor investimento que você pode fazer para sua saúde é ter uma alimentação equilibrada alinhada com a prática de exercícios. Para os idosos que já apresentam este problema, devemos investigar a causa da perda de apetite, procure sempre um médico especialista para orientação e tratamento.

Em casa você pode tratar os idosos que se queixam da boca amarga, introduzindo lentamente uma dieta rica em hidratos de carbono (raízes, tubérculos, frutas e verduras) com um aspecto visual melhor. A comida não precisa ser ruim para ser saudável, invista nas ervas frescas para dar sabor. O importante é voltar a fazer com que o momento da refeição passe a SER CADA VEZ MAIS APRAZÍVEL.

Compartilhar
Euler Ribeiro
*Amazonense de Itacoatiara. Médico, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia. Ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal pelo Estado do Amazonas. Fundador e atual Reitor da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade. Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui