Para se obter a longevidade com qualidade geralmente é riscado da lista a ingestão de bebidas alcóolicas, mas como tudo na vida depende do equilíbrio, venho falar hoje sobre uma das bebidas mais consumidas no mundo e que vem ganhando há décadas espaço na literatura científica sobre os benefícios de seu consumo: o vinho! Produzido a partir da fermentação da uva, possui efeitos benéficos à saúde humana e o grande responsável são os polifenóis existentes no vinho isso porque eles têm um potente efeito antioxidante e uma ação antibiótica contra bactérias e inibem o crescimento de vários vírus, entre os quais o do herpes e o da poliomielite. É muito importante salientar que as virtudes terapêuticas do vinho só ocorrem se bebido com moderação e durante as refeições regularmente.

Na Grécia antiga o pai da Medicina, Hipócrates, já confirmava: “O vinho é bebida excelente para o homem, tanto sadio como doente, desde que usado adequadamente, de maneira moderada e conforme seu temperamento.” A primeira grande pesquisa sobre as vantagens do consumo do vinho chamou a atenção do mundo em 1980 intitulada como “O paradoxo francês”. A Pesquisa mostrou que os franceses apesar de adotarem uma dieta rica em gorduras (manteigas, patês, queijos), possuir alguns hábitos não saudáveis como fumar e não praticar atividades físicas, não apresentavam altas taxas de doenças cardiovasculares e muitos menos morriam por este motivo.

A explicação para ele foi que os franceses tomam mais vinho que o resto do mundo atual, e sempre durante as refeições prolongadas no mínimo uma hora para fazer uma refeição. Também evidenciaram a semelhança com países mediterrâneos que também adotam o vinho em sua dieta.

As pessoas que bebem vinho moderadamente durante as refeições e regularmente tem 20% menos chances de desenvolver câncer que a maioria de outros povos. Há estudos que também apontam os efeitos benéficos do vinho durantes o tratamento com quimioterapia e ou a radioterapia se consumido diariamente e moderadamente.

Além de fazer bem ao coração, consumir um bom vinho moderadamente melhora a consistência e a elasticidade da pele como também a hidratação e a microcirculação dos vasos sanguíneos, outro efeito vantajoso das belas franceses que mesmo em idade tardia apresentam menos rugas que a maioria das mulheres do resto do mundo. Alguns estudiosos apontam que a pesquisa ainda precisa de alguns pontos de observação como o estilo de vida menos estressante dos franceses, o que de fato já sabemos, fugir do estresse ajuda bastante!

O envelhecimento desta pessoas que bebem regularmente o vinho com parcimônia durante longas refeições envelhecem com uma qualidade de vida distinta das outras que não toma vinho. O resveratrol que é encontrado na pele das uvas vermelhas é um grande aliado na prevenção de doenças mentais e auxilia na memória até o fim da vida, melhora o humor, o sono, ajuda na digestão, proporciona prazer e relaxamento, melhora a vida sexual e pode até nos deixar mais inteligente aumentando nossa capacidade de foco e atenção.

Vale lembrar que há pessoas contra indicadas para qualquer tipo de ingestão de álcool, mas quem aprecia aconselho, portanto, beber vinho de preferência cabernet sauvignon, safra de uvas das mais ricas em polifenóis. Uma taça de vinho no almoço e outro no jantar sem exagero e com muito prazer. Cuidem-se!

Compartilhar
Euler Ribeiro
*Amazonense de Itacoatiara. Médico, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia. Ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal pelo Estado do Amazonas. Fundador e atual Reitor da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade. Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui