Se pararmos para refletir acerca do que temos visto sobre o comportamento humano nos últimos tempos, indubitavelmente teremos que pedir para nascer novamente e vir um bichinho. O ser humano perdeu completamente ou nunca teve a essência benevolente, genuína.

O que vimos ultimamente, é uma acirrada disputa e briga de quem prejudica mais o outro, em detrimento de querer se dar bem a todo custo. Assim, perde-se todo o escrúpulo, passa-se por cima dos princípios e valores que norteiam uma pessoa de bem e consequentemente ferem, denigrem e muitas vezes matam por questões tão supérfluas e desnecessárias.

Mas a que devemos atribuir tudo isso? Será que o mundo globalizado e as facilidades tecnológicas, corroboram para que percamos o verdadeiro sentido do que realmente somos? Os pais ou responsáveis, estão negligenciando todo o processo de formar um “SER” em detrimento do “TER”? As pessoas em virtude da correira e do estresse do dia a dia, não se ligam mais em assuntos relacionados ao crescimento espiritual e humano?

Realmente temos que reavaliar toda nossa condição humana e rever nossas atitudes diante do que somos. Cada pessoa, reflete exatamente aquilo que ela possui internamente. Não adianta querer usurpar os fatos, seu comportamento e atitudes demonstrarão que você será sempre, um ser afundado num mar de medos, culpas, derrotas, sentimentos mesquinhos, frustrações, desequilíbrios constantes e infelicidade. Um ser que vive buscando prejudicar e fazer mal aos outros, pelo simples fato de poder sentir-se um pouco útil, jamais se tornará pleno e feliz. Pessoas lotam academias, investem em cirurgias estéticas, pagam fortunas em produtos de beleza, acumulam bens. Mas, continuam sem sentindo algum na vida. São pessoas vazias, desprovidas de qualquer tipo de amor e respeito e não buscam nenhuma forma de elevação pessoal e nem espiritual.

Urge, que possamos nos auto avaliar constantemente, que mesmo diante de tantos fatores que  contribuem para a nossa desestrutura humana e falta de sensibilidade e destreza ao lidar com tudo que há de ruim na vida, ainda assim, temos que deixar que os nossos reflexos sejam cheios de luz, de sentimentos otimistas, de ações boas. É bem mais fácil e prazeroso, quando mesmo com todos os obstáculos e dificuldades que atravessamos, deixamos nosso superego de lado, e nos deixamos levar pela melhor forma possível de ser e de viver. Só assim entraremos e estaremos em perfeito equilíbrio na tríade: mente, corpo e espírito. E o reflexo daquilo que você é guiará toda sua existência trazendo-lhe infinitas e maravilhosas experiências.

Compartilhar
Fabíolla Fonseca
Djanne Fabíolla Fonseca da Silva. Psicóloga. Especialista em Psicologia Jurídica, Saúde Mental, Álcool e Drogas. Atua em Itacoatiara atendendo as vítimas de violência doméstica, na Casa de Maria anexa à Delegacia Geral. Ministra aulas nas Instituições de Ensino de nível técnicos e superior, além de atuar numa Unidade Básica de Saúde e em seu consultório particular.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui