*Juca Kfouri

O folclórico ídolo achou de brigar com quem lhe fez a maior homenagem.

Pense em ser homenageado com uma letra assim e com a música gingada de Jorge Ben Jor.

“Foi um gol de anjo um verdadeiro gol de placa/ Que a magnética agradecida assim cantava / Foi um gol de anjo um verdadeiro gol de placa / Que a magnética agradecida assim cantava / Fio maravilha, / Nós gostamos de você / Fio maravilha, / Faz mais um pra gente ver / E novamente ele chegou / Com inspiração / Com muito amor, com emoção, com explosão em gol / Sacudindo a torcida aos 33 minutos / Do segundo tempo / Depois de fazer uma jogada celestial em gol / Tabelou, driblou dois zagueiros / Deu um toque driblou o goleiro / Só não entrou com bola e tudo / Porque teve humildade em gol / Foi um gol de classe onde ele mostrou / Sua malícia e sua raça / Foi um gol de anjo um verdadeiro gol de placa / Que a magnética agradecida assim cantava / Fio maravilha, / Nós gostamos de você / Fio maravilha, / Faz mais um pra gente ver”.

Tudo porque você, embora folclórico e desengonçado, fez um golaço no Maracanã, no dia 15 de janeiro de 1972, pelo Torneio de Verão, contra o campeoníssimo português Benfica, o gol da vitória por 1 a 0. Seu nome é João Batista Sales e seus dentes da arcada superior não cabem em sua boca, mas o gol, testemunhado por mais de 44 mil torcedores, Ben Jor entre eles, vale a música que consagra o apelido Fio Maravilha.

Neste domingo (19), ao completar 75 anos, o maior arrependimento que você pode sentir é o de ter dado ouvidos a um advogado que o convenceu a processar o compositor em busca de direitos autorais, tamanho o sucesso da música, vencedora do Festival da Canção de 1972.

Em 2007 você pede desculpas ao músico, para quem perdeu na Justiça e ainda teve de pagar as custas, e pede a ele, magoadíssimo com razão, para deixar de cantar “Filho Maravilha” e voltar à letra original.

Poucas vezes você, que perdeu tantos gols imperdíveis e acabou em São Francisco, nos Estados Unidos, entregando pizzas, viu alguém fazer tamanha bobagem na vida. Mas perdão foi feito para a gente pedir.

Parabéns, Fio Maravilha!

E tem mais

Outro rubro-negro, o menino Reinier, tem este dia 19 como especial, pois faz 18 anos já negociado com o poderoso Real Madrid e estreia pela seleção sub-23, contra o Peru, no Campeonato Pré-Olímpico Sul-Americano, na Colômbia, com vistas à Olimpíada de Tóquio, em julho/agosto próximos.

A seleção, dirigida por André Jardine, promete jogar com a intensidade que nos encanta no Inglês, coisa que poderá ser vista a partir das 22h30, no SporTV. Campeão e vice irão ao Japão.

Maior clássico inglês

Nove horas antes, mas com transmissão da ESPN, tem Liverpool e Manchester United, o líder invicto, com 20 vitórias em 21 jogos, contra o quinto colocado, 27 pontos atrás, mas o único que tirou pontos dos Reds.

Liverpool x Flamengo na final do Mundial de Clubes

Capitão do Liverpool, Henderson levanta a taça de campeão mundial em Doha Giuseppe Cacace/AFP

Com Diego Alves no chão, Firmino bate, a bola desvia em Rodrigo Caio e entra Mustafa Abumunes/AFP

Atacante sai para comemorar o gol, já no primeiro tempo da prorrogação em Doha Mustafa Abumunes/AFP

O time do Flamengo posa para a foto oficial antes da partida Kai Pfaffenbach /Reuters

Só que agora o jogo será no estádio de Anfield, onde os campeões mundiais, e virtuais campeões da Premier League, estão há 51 jogos invictos e acumulam 18 vitórias seguidas.

Com 14 pontos de vantagem sobre o segundo colocado Manchester City e com um jogo a menos, a única questão que o mundo do futebol coloca é singela: será que um dia ainda veremos o Liverpool perder?

Se sim, nada indica que seja agora, embora se trate da maior rivalidade na britânica, com superioridade dos visitantes deste domingo (19): 80 vitórias a 66, com 59 empates desde 1894.

*Jornalista esportivo. Artigo na Folha de São Paulo, Caderno de Esporte, de 19/01/2020.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui