Poema recolhido da obra “Pedra Pintada (uma viagem à cidade da minha primeira infância)”, ainda inédita.

Com papagaios de papel
apurava uns dinheirinhos.

Na pracinha em frente ao rio
encontrei outro menino.

Não podia comprar nada
e dei para ele um de graça.

Empinei meu papagaio
e o que fez o outro menino?

Como primeira partida
cortou o meu papagaio!

Meu brinquedo de papel
caiu ao largo no rio

que parecia uma lama.

Foi a primeira visão
amargosa da alma humana.

Compartilhar
Elson Farias
*Poeta e ensaísta. Ex-presidente da União Brasileira de Escritores do Amazonas e da Academia Amazonense de Letras. Nascido em Itacoatiara é uma das glórias dessa cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui