*Francisco de Abreu Cavalcante

Pertence ao segundo livro “Maravilhas da vida” a ser publicado em breve.

“O poeta é um fingidor,
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente” – (Fernando Pessoa)

Quero agora, aqui colocar
A exemplo dessa quadrinha,
Sobre meu sentimento falar
À minha musa madrinha.

Da quadrinha, muito gostei,
Sendo “poeta fingidor”,
Fingir é tudo que sei, mas
Finjo sempre com amor!

Meu fingimento em cantar
Em meus versos plangentes,
O amor me leva a fingir sem par,

Fingindo constantemente,
Com simplicidade singular
De meu eu adolescente.

*Poeta e professor aposentado, natural de Itacoatiara. Graduado em Letras, Língua Inglesa. Integrante do Coral João Gomes Júnior.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui