Uma experiência gratificante e feliz conhecer a cidade de Juruti (escreve-se com u depois do r). Lá acontece o Festribal. O evento ocorre sempre no final do mês de julho. Para não rivalizar com o boi de Parintins, cidade vizinha a Juruti.

Juruti é o primeiro município do Pará, após a divisa com o Amazonas. É uma das cidades da região do Tapajós, cuja cidade polo é Santarém.

O Festibral é um evento parecido com o boi de Parintins. Mas não tem boi. O que torna a competição mais linear. O enredo flui com mais coerência e contextualização. Assim como acontece em Parintins, há duas tribos que competem entre si. Os Mundurucus representados pelas cores vermelha e amarelo. E os Muirapinima com as cores vermelha e azul.

Na sexta-feira que precedeu o festival houve a apresentação das tribos infantis. A curuminzada deu um show. E o mais importante. Não havia competição entre as tribos mirins. Achei isso formidável. Seria injusto uma cunhã poranguinha de uma tribo receber uma nota dez e a outra tão bonita quanto receber 9.9.

A rivalidade e a competição ficam só entre os adultos. A apresentação deu-se no sábado. Uma beleza. O tema foi a resistência dos indígenas em relação à histórica opressão que sofrem desde o tempo do Descobrimento do Brasil.

A tribo Muirapinima foi a campeã desse ano. Homenageou as amazonas. Lendárias mulheres guerreiras que o espanhol Francisco Orellana, ao chegar a região, assim as denominou. Essas índias guerreiras eram mulheres altas, fortes, de pele clara com cabelos longos e negros. Frei Gaspar de Carvajal que estava na mesma expedição relata que eram as índias icamiabas. Habitavam justamente na região do rio Nhamundá, nas vizinhanças de Parintins e de Juruti. Ou seja, na divisa dos Estados do Pará e do Amazonas.

Foi com imensa alegria que estive na pequena e graciosa Juruti. Tive o privilégio de almoçar na casa da secretária de Cultura e Turismo do Município, Ariadne Lima. Acompanhados de Zemaria Pinto e de Tainá. Saboreamos uma deliciosa comida regional. Tainá, como provável descendente das icamiabas, orgulha-se de sua terra. Convida a todos a Jurutizar-se!  Muito bem. Eu recomendo: Jurutize-se!

Compartilhar
Pedro Lucas Lindoso
*Bacharel em Direito e licenciado em Letras pela Universidade de Brasília. Membro efetivo do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Pertence a Associação dos Escritores do Amazonas e a Academia de Letras Ciências e Artes do Amazonas. Membro fundador da Academia de Ciências e Letras jurídicas do Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui