O texto ‘… Querida filha do país…’, descrita a partir do artigo Ide e pregai a Pedagogia é uma viagem e faz alusão a um sonho onírico dos jesuítas que sobrevoaram o dossel da floresta amazônica, em um aérobus – um aparelho hipersônico -, no qual o Padre José de Anchieta orientava Antônio Vieira com uma carta de navegação espacial e, com cuidado, marcava pontos estratégicos de intervenções a serem executadas no mapa do caminho e este, logo encarregava seus auxiliares a armar uma expedição de Belém até o rio Madeira. Mas o jovem jesuíta era muito pragmático e, após acoplar o aparelho no espaço-porto, verticalmente no centro da região, desejava conferir de perto, a ação que lhe fora ordenada por seu chefe que governava a Companhia de Jesus do páteo do colégio, em São Paulo. Será que ele não esteve  na Ilha de Aibi, – que desapareceu do mapa -, alicerçada pela desconfiança de historiadores sempre colocarem  interrogações sobres esse ponto.

Nas primeiras horas do dia  08.09.23, após pedir a população itacoatiarense um minuto de silêncio pelas, aproximadamente, 600 mil mortes de brasileiros que deixaram esse planeta em virtude de contraírem COVID-19, Dom José Ionilton Lisboa de Oliveira , nascido em 09.09.62, em Araci (BA), dará início a celebração do aniversário do município ao ordenar as badaladas do sino da catedral da Cidade do Rosário, seguidas pelas igrejas coirmãs da Prelazia de Itacoatiara, no Médio Amazonas, avisando a todos os fiéis da celebração máxima: A Cidade Verde estará completando 340 anos de fundação. Após oficiar a missa e ainda na Praça da Matriz o bispo, sem dúvidas – e como já é de praxe -, bisará os versos de Pedra Pintada, do poeta Alírio Marques no sotaque do dicionário nordestinês pensando que ainda é baiano, mas enganando a si mesmo, pois ele foi fisgado por um jaraqui.

Segundo a folhinha do calendário do Sagrado Coração de Jesus, veio ao mundo no dia de Nossa Senhora da Luz, tendo como testemunhas as estrelas do Cruzeiro do Sul e quem emitiu a certidão de nascimento dessa ilustre prima-dona foi Padre Jódoco Perez, com a aquiescência de Mamorini, Tuxaua dos Iruri, reconhecido como um verdadeiro diplomata e que liderou o cacicado complexo instalado no rio Madeira. Em 08.09.1683 nasceu uma das cidades mais ímpares do mundo, Itacoatiara, a Pedra Pintada. Meu Deus!!! A comemoração reuniu todas as etnias do lugar às margens do rio em uma Piracaia, um festival de gastronomia com iguarias e pratos diversos, patrocinada pela federação dos povos daquela região, realizada em uma praia. Em seguida foi armado um altar e improvisada uma mesa para a liturgia católica e uma extensa área ornamentada foi destinada para as cores regionais dos rituais indígenas praticando-se o ecumenismo bem ali. Os indígenas deixaram de tratar os brancos por você, mas passaram a chamar-nos de ‘parente’, significando mais proximidade com o semelhante, no exercício da alteridade, conforme a Antropologia.

Segundo o quadro das correspondências geomânticas, a leitura do Mapa Astral de Serpa demonstra que na madrugada de 08.09.1683 era Lua Cheia, o céu consta visivelmente estrelado, sobressaindo-se no firmamento celeste, o fenômeno conhecido como Cruzeiro do Sul  bem iluminado e brilhante no momento. Analisando o Zodíaco ela nasceu sob o signo de Virgem – configurando-se na estética humana com um véu encobrindo a cabeça -, mostrando  apenas a pureza do lado esquerdo da face; Seu universo cósmico é a alegria; Tem como planeta Mercúrio, dominado pela deusa da arte, da sabedoria e do comércio internacional, com uma tocha na mão direita acima da cabeça, permanentemente acesa pelo fogo da prosperidade econômica; Seu elemento é a Terra amazônica e o dia, 4ª Feira; Tem como Brasão Sinople – na Mineralogia uma espécie de esmalte de quartzo esverdeado -, representando a Av. Park; Pedra Preciosa: Diversas; Perfume: Âmbergris; Virtude: o verde da esperança, como no hino; Metais: Ouro de Ofir que Salomão mandou buscar aqui, e, Cores: Dourado, composto de poeira nano que caem das estrelas de 1ª grandeza nesse chão, exemplificado pelo Pôr do Sol observado a partir da orla.

Por via rodoviária o turista ao passar pelo portal da cidade às 18h., por exemplo, será recepcionado por uma orquestra de pássaros sob o comando do Japiim-Pajé, aquele que arremeda todos; Pela malha aquaviária, existe um Terminal Hidroviário e por via aérea o Aeroporto Municipal Mariano Arico Barros, com pista de 1.515×30, toda asfaltada, recebe vôos particulares, situado a 8 km do Centro, cujo ponto turístico é um avião que encontra-se há 40 anos aguardando reparos. Na estada os hotéis e pousadas não oferecem nenhum serviço de city tour pela cidade, mas existem inúmeros programas para a zona rural como: Rio Urubu, Lago do Canaçary, Cachoeira de Lindóia, Distrito de Novo Remanso e região dos lagos, no rio Arari. Mas o sítio urbano é todo turístico, pode ver…

Mas beleza pura mesmo o visitante encontra ao caminhar pelo Corredor Ecológico Central, sentindo 1Km e meio de emoções positivas no espírito, acalmando até a alma camuflada pela pressa metropolitana do corpo, saudado pelo sorriso maroto dos transeuntes. Em qualquer hora do dia o cidadão pode desfrutar dos serviços ambientais gratuitos naquela urb ouvindo bem-te-vis e sanhaços; pipira-roxas namoram promovendo uma algazarra enquanto o Tucano, se refastela no cacho de Açaí; Chopim, Rouxinóis e Corruíras se reúnem enquanto o bando de Japós provoca um estardalhaço, vindo dos quintais das margens. O passeriforme da família dos psitacídeos é uma papagaiada só, sombreada pelo balé das andorinhas a tarde. Para quem pensa em viajar escuta até o canto plangente do vem-vem, pedindo para você ficar. É um espetáculo somente valorizado por quem é de fora e desconhece o fato, pois os citadinos já estão acostumados.

Descendo o rio Madeira, Francisco Orellana, chega a Amazônia em 04.06.1542, navegando centenas de milhas náuticas no território da Pedra Pintada; Pedro Teixeira; Mário de Andrade, representante do Modernismo brasileiro esteve na terra de Mamorini, assim como Glauber Rocha, ícone do Cinema Novo tupiniquim. Conforme FGS, passaram ou estiveram na cidade: Afonso Pena, Washington Luís, Getúlio Vargas, Café Filho e Juscelino Kubistchek, só para lembrar a Velha Guarda. Raymunda de Menezes Vasconcelos Dias foi a primeira vereadora do Brasil e, assumindo a Prefeitura da Velha Serpa, nomeou um gabinete feminino para administrar o município; Madre Rita de Cássia Dias, pertencente a Congregação das Irmãs de Santa Dorotéia escreveu uma poesia e mostra o por que a Cidade da Canção ser a querida filha do país.

Terra de poetas, músicos & luthiers, destaca-se no cenário nacional e até internacional por muitos motivos. Tem, na Logística, uma localização estratégica, por estar situada no centro do Médio Amazonas, mas interligada a municípios satelizados incluindo rodovias, malha aquaviária, lacustre e ligadas por diversos modais a inúmeras capitais, na Amazônia. Já foi capital, governando o Amazonas, em que a Câmara Municipal se deslocava para atender as demandas da população manauara, no início do Século XIX, em que os vereadores se deslocavam em canoas, passando, aproximadamente, um mês fazendo esse trajeto. Nunes Pereira(1893-1985), escritor com inúmeros livros e artigo científico publicados também fez pesquisas antropológicas e sobre a ciência da natureza em que se serviu desse laboratório.

E assim muitas personalidades de profissões diversas, privadas e públicas, nacionais e estrangeiras elaboraram seus estudos, pesquisas, conhecimentos, existência e pontos de vistas em uma parada obrigatória baseada em números, características geográficas, históricas,  sociológicas, antropológicas, arqueológicas, tipos humanos e ambientais etc., mas em nada iguala a recepção onde você, um ilustre desconhecido é tradado como a primeira vista como ‘parente’, termo forjado pelo povo itacoatiarense que consta no Dicionário Caboquês significa mais que amigo. Solo sagrado do povo que considera a terra como mãe, onde viveram nossos pais. Território imemorial de mais de uma centena e meia de etnias que habitavam no lugar.

Parabéns, Itacoatiara pelos 338 anos!!!

Compartilhar
J.R Lopes
É jornalista. Natural de Itacoatiara (AM).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui