Avant-première aconteceu no último dia 29 de novembro no auditório Jamel Amed em Itacoatiara-AM.

Na noite de 29 de novembro de 2021, o Instituto Geográfico e Histórico de Itacoatiara (IGHI), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, Turismos e Eventos (SEMCTUR), realizou a cerimônia de pré-estreia da mais recente produção de Thyrso Muñoz, o documentário intitulado Francisco Gomes da Silva: Traços históricos e biográficos, o qual, como anuncia o título, registra marcos da trajetória de vida do historiador itacoatiarense, delineados por aspectos da própria história do município berço do personagem central.

Durante a programação do evento, que seguiu todos os protocolos sanitários de prevenção à COVID-19, entre os presentes, além do homenageado, estiveram os membros do IGHI; a presidente da Academia Itacoatiarense de Letras, Dra. Izidoria Amorim, acompanhada de seus confrades; a diretora geral do Instituto Federal do Amazonas, Leonor Toro; a representante do SENAC, professora Marusca Wisler e seus alunos; o subsecretário municipal de cultura João Bosco Borges; a representante da Coordenadoria Regional de Educação de Itacoatiara, professora Izis Rachel; o presidente da comunidade quilombola do Lago de Serpa, Ernando Macedo; servidores da Universidade Federal do Amazonas, da Prefeitura de Itacoatiara, da SEMCTUR, da Secretaria Municipal de Educação e comunidade em geral.

Este documentário, que teve o apoio da Prefeitura de Itacoatiara por meio de suas secretarias de Cultura e de Educação, é uma obra audiovisual com duração de pouco mais de uma hora, contendo uma diversidade de fotografias raras e vídeos, com importantes depoimentos de nomes do âmbito histórico-cultural de Itacoatiara: a professora e poetiza Leonildes Conceição Oliveira, o professor e advogado Emanuel Altamor, o pesquisador e professor Dr. Claudemilson Nonato de Oliveira, os professores e poetas Francisco Calheiros e Salomão Barros, o próprio documentarista Thyrso Muñoz – estes membros da Academia Itacoatiarense de Letras -, o escritor poeta Elson Farias – da Academia Amazonense de Letras – e, ainda, a professora Lia Maria de Vasconcelos, a bibliotecária Katiane Vieira, o metalúrgico Fernando Chaves e a jovem estudante Daiane Costa. De outro lado, o testemunho de Francisco Gomes, no vídeo, aparece como elemento norteador das séries de evocações enredadas nas cenas em registro, desde a idade pueril, passando pela juventudo e os desdobramentos da adulta, tanto pessoal quanto profissional.

De acordo com o autor, a proposta era pôr em relevo não somente os escritos de Gomes, mas também a sua participação intrínseca na sociedade: “A nossa intencionalidade era essa, era falar do Francisco, assim como do contexto que está em redor dele, que é exatamente a valorização do patrimônio cultural itacoatiarense, das pessoas, da historiografia local. E o Francisco é dessas pessoas, que não apenas escreve o livro, mas ele também faz questão de estar junto com o povo, de estar entrevistanto, de estar fazendo palestras, de estar participando nas escolas, nos eventos. Ele é assim. Ele vive o momento do que ele faz, do que ele escreve, ele vive o momento”, ressaltou Thyrso.

Em seu discurso, o presidente do IGHI, Dr. Claudemilson Nonato de Oliveira, salientou a importância que se tem em enaltecer aquele que é o principal historiador de Itacoatiara, há mais de cinquenta anos estudando e divulgando a trajetória histórica de sua cidade, sendo um dos responsáveis pela fundação da Academia Itacoatiarense de Letras e do Instituto Geográfico e Histórico de Itacoatiara, dos quais é, hoje, membro benemérito:

“Os feitos de Francisco Gomes o credenciaram, desde logo, a assumir o papel que desempenhou ao longo desses anos na pesquisa e escrita. Não à toa foi condecorado com a comenda “Ordem do Mérito Legislativo”, instituída pela Presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, e com a “Medalha Dr. João Valério de Oliveira de Honra ao Mérito Cultural”, instituída pela Presidência da Câmara Municipal de Itacoatiara. Portanto, a nossa manifestação aqui é tão simplesmente cumprimentar publicamente o historiador pela sua contribuição no universo da pesquisa, dos registros e do debate históricos de nossa Itacoatiara. Produzir, escrevendo, é uma de suas grandes lições dadas a nós pesquisadores. O documentário, do Thyrso, a que assistiremos (…) vai confirmar o que estou dizendo: o Francisco tem um vasto conteúdo a continuar sendo explorado,” finalizou o presidente.

Posteriormente, o documentário será disponibilizado ao público, em exibições nas instituições educacionais e veículos de mídia digital. Conforme Muñoz, já existem parcerias e convites para divulgação deste trabalho, inclusive no canal social da biblioteca do Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal do Amazonas, onde aconteceu, no dia subsequente à pré-estreia, entrevista com o autor e o homenageado. Link da entrevista: https://www.youtube.com/watch?v=jAnc6oiWYaA&t=815s

Após a exibição do documentário, a noite foi encerrada com o show musical do tradicional grupo Mureru, que contou com a sua formação original, tendo o cantor Natinho à frente dos vocais, enquanto o público degustava um saboroso coquetel.

 

Texto do Professor, Poeta e Folclorista Salomão Amazonas Barros, filho do saudoso artista popular Zé Barros. Salomão Barros é professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) e membro da Academia Itacoatiarense de Letras (AIL) e do Instituto Geográfico e Histórico de Itacoatiara (IGHI).

Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui