*Paulo Markun

Os idosos brasileiros estão usando cada vez mais a internet e já pesquisam preços, mandam mensagens, fazem chamadas de voz e vídeo, compartilham conteúdos e começam a fazer compras online. Ainda é, sem dúvida, o segmento etário mais refratário à rede mundial de computadores, mas o avanço é visível e está associado, principalmente, à disponibilidade de acesso a partir de celulares e smartphones. Nessa faixa etária, 58% do acesso à internet é obtido pelos celulares somente. Outros 33%, pelo celular e pelo computador. Somente 8% usam apenas o computador para acessar a rede. Os dados são da nova pesquisa TIC Domicílios 2018, do Cetic.Br – Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação – divulgada nesta quarta-feira, 28 de agosto.

O avanço é evidente: em 2017, apenas 21% dos idosos diziam ter usado um computador. Nos últimos três meses, tinham usado a internet no celular 32% dos idosos. Em 2017, esse percentual era de 27% e em 2015, 13%.

Isso tem a ver com o fato de que 93% dos domicílios brasileiros dispõem de celulares, ao passo que só há computadores portáteis em 27% e de mesa, em 19% dos lares. Embora o acesso à internet esteja disponível em 67% dos domicílios, apenas 39% possuem internet e computador.

Do total da população, 76% já utilizaram a internet. Na faixa de 60 anos ou mais, são 34% (contra 67% entre os 45 aos 59 anos e 94% entre os 16 e os 24 anos). Entre os idosos conectados, 91% acessaram a rede pelo celular, 25% pelo computador de mesa, 24% pelo notebook e 10% pelos tablets.

Para 72% dos idosos, a razão para não usarem a internet é a falta de habilidade com o computador. Curiosamente, percentual menor que o registrado nas faixas de 35 a 44 anos e de 45 a 59 anos (78%). A falta de interesse para com a internet é a razão de não a terem utilizado para 67% dos idosos – a turma de 35 a 44 anos , enquanto 43% declararam não ver necessidade em utilizá-la. Somam 40% os que dizem que o acesso é muito caro e 28% afirmaram que nem tem como acessar a web. Para 39%, o motivo da rejeição é a insegurança ou o temor de perderem a privacidade. Também nesse ponto, os idosos parecem ter mais confiança que faixas etárias menores. De 35 a 44 anos, 55% deram como razão esse temor para não usar a web. Entre os 45 e os 59 anos, 51% apresentaram esse argumento para não acessar a internet.

Mas o que os idosos fazem na internet? Uma boa parte pesquisa preços: 45%, contra 73% entre os entrevistados de 25 a 34 anos. A compra online já seduz 28% dos que tem mais de 60 anos. Entre os que não tinham usado a internet para fazer compras nos últimos 12 meses, 83% disseram preferir o comércio tradicional, em que se pode ver o produto; 62% afirmaram não confiar nessa modalidade de venda; 59% temiam entregar suas informações pessoais e 57% declararam não ter interesse na prática.

O governo eletrônico é acessado por uma parcela expressiva dos velhos: 28% declararam ter feito contato com algum mecanismo do gênero nos últimos 12 meses, um percentual relativamente elevado, se levarmos em conta que entre os mais jovens – esse mesmo índice oscilou entre 58 e 59%.

Os idosos que utilizaram a internet para preencher formulários online, ou pagar taxas ou impostos somam 14% (nas faixas mais jovens, esse percentual é de 31 a 33%). Mas apenas 7% utilizaram a rede mundial de computadores para obter documentos pessoais, como RG, carteira de trabalho ou passaporte, contra percentuais de 25 a 27% nas faixas mais jovens.

A habilidade dos velhos diante de um computador ainda é limitada: 25% disseram ter copiado ou movido um arquivo ou pasta, 24%, copiado e colado informações em um documento, 28% anexaram arquivos em emails e 12% utilizaram planilhas de cálculo. Curiosidade: os velhos está desaprendendo – ou respondendo com mais sinceridade às perguntas. Em 2017, esses mesmos percentuais eram mais elevados: 34%, 29%, 31% e 19%.

Compartilharam conteúdo 53% dos brasileiros com 60 anos ou mais. Postaram fotos, vídeos ou músicas criadas por eles, 17%, enquanto 16% baixaram músicas e 9%, filmes. O grupo que havia criado ou atualizado blogs representava 8%. Treze por cento já tinham jogado online e 6% dos maiores de 60 anos baixaram jogos pela internet.

A pesquisa TIC Domicílios é realizada presencialmente, em 23.508 domicílios em 350 municípios, entre outubro de 2018 a março de 2019.

*Jornalista, escritor e documentarista. Matéria na Folha de São Paulo, de 29/08/2019.
Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui