Desde cedo as mulheres são educadas adequadamente sobre a higiene íntima após a micção, uma questão cultural que beneficia o sexo feminino à prevenção de infecções por bactérias e fungos, porém não é o que acontece com os homens. Desconhecido pela maioria, a falta de higiene íntima nos homens pode causar um tipo raro de câncer no pênis e quando não identificado precocemente, pode levar a sua amputação.

Apesar da raridade do tumor que atinge com maior incidência homens a partir de 50 anos de idade, todos os anos cerca de mil pênis são amputados no Brasil segundo o Ministério da Saúde e estes casos vêm aumentando assustadoramente causando danos físicos e psicológicos no sexo masculino. Este tipo de câncer está associado principalmente à má higiene, à infecção pelo papiloma vírus humano (HPV) e pacientes que optam por não realizar a cirurgia de fimose (procedimento para retirada da pele do prepúcio).

Em sua rotina, os homens realizam a micção apressadamente, deixando a área da glande (cabeça do pênis) úmida e ao roçar na roupa acaba causando pequenas feridas descamativas. Estas pequenas lesões quando não cuidadas podem infeccionar e causar uma proliferação de bactérias tornando um problema crônico e como geralmente o homem não possui o hábito de ir ao médico, eles mantêm muito tempo esta inflamação correndo o risco de uma pequena lesão se transformar em tumor maligno.

Outro fator de risco é a existência da fimose. A fimose é uma condição em que o homem apresenta excesso de pele que recobre o pênis dificultando a higienização na hora do banho.

Geralmente esta condição afeta os bebês e à medida que crescem tende a desaparecer, todavia caso persista na adolescência será necessária uma intervenção cirúrgica, para remoção da pele.

Pequenas medidas como lavar o pênis com água e sabão ou enxugar corretamente a glande do pênis logo após a micção pode evitar o acúmulo de secreção e onsequentemente a infecção. Na hora do banho é _ indispensável uma limpeza adequada, puxando delicadamente o prepúcio (pele) e lavando toda a área até sair toda gordura acumulada. O uso do preservativo também é primordial para evitar as doenças sexualmente
transmissíveis, principalmente o HPV que está associado ao risco de câncer peniano.

Ao notar qualquer aparição de rugas, manchas, verrugas ou úlceras na região do pênis, não demore a procurar ajuda de um profissional, preferencialmente consulte com um urologista de imediato. O homem também deve ser educado precocemente a desenvolver o autocuidado com o seu corpo, desde criança deve ter o hábito de higienizar a parte íntima não somente no banho, mas principalmente após urinar.

Nós homens já vivemos, em média, sete anos a menos que as mulheres, não podemos mudar a genética, mas a adoção de hábitos saudáveis e ações de prevenção pode ajudar a diminuir estes agravos evitáveis. Cuidem-se!

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui