A campanha Julho Amarelo é marcada no calendário do Ministério da Saúde no Brasil como o mês de prevenção e controle das hepatites virais. Milhares de brasileiros são afetados por esta doença silenciosa que pode causar a morte se não for detectada a tempo. A Hepatite é um tipo de inflamação no fígado provocada por vírus ou pelo uso de alguns medicamentos, álcool, drogas, assim como por doenças metabólicas, autoimunes ou genéticas. Por se tratar de uma doença silenciosa, muitos são infectados sem apresentar sintomas, principalmente homens e jovens sem o hábito de checagem e prevenção da saúde, porém quando não tratada corretamente podem surgir complicações sérias como a cirrose ou ao câncer de fígado.

Na fase inicial a doença costuma se manifestar através do cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhosamarelados, urina escura e fezes claras. No Brasil as hepatites mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C, existem ainda os vírus D (encontrado na Amazônia) e o vírus da Hepatite E, este último costuma ser raro no país. A hepatite tem cura, porém o sucesso do tratamento depende do estágio em que a doença for diagnosticada.

A gravidade e a forma de transmissão são diferentes entre os tipos de vírus, o diagnóstico é feito por meio de exames de sangue. Há vacinas disponíveis somente para os tipos A e B. A hepatite A pode ser transmitida por contágio oral-fecal, quando há contaminação na água e alimentos, e também pode ser transmitida de pessoa para pessoa, por isso a importância de evitar compartilhar objetos pessoais como escova de dente, talheres, principalmente em locais sem condições de higiene. A hepatite B é considerada um tipo de Infecção sexualmente transmissível, ainfecção se dá por relações sexuais sem proteção e também pode ser transmitido ao feto durante a gestação, por isso é imprescindível a acompanhamento do pré-natal nas gestantes. A melhor forma de prevenção dos tipos A e Bé buscar a vacina na rede pública de saúde.

Já nos casos de hepatite C, a de maior prevalência nos brasileiros, é transmitida principalmente por sangue contaminado, seja através da relação sexual, compartilhamento de objetos cortantes (seringas, alicates de unha) ou via perinatal (de mãe para o filho), sem tratamento adequado a doença pode evoluir para uma cirrose ou câncer no fígado. Como não há vacinas disponíveis, recomendamos exames de rotina para uma detecção precoce.

A hepatite Dou delta é a forma mais perigosa, pois a contaminação e o aparecimento dos sintomas são quase de imediato e aprevalência de mortalidade é alta. Compartilho com vocês um acontecimento histórico em nosso estado. Como uma das minhas experiências como Secretário de Saúde do Estado, no ano de 1985 foiatingidos por um surto da Hepatite Delta, principalmente na calha do Rio Purus, entre os municípios de Lábrea e Canutama. Houve relatos que esta doença dizimou famílias inteiras em comunidades ribeirinhas, por causar um estado febril mesmo após a morte, ficou conhecida como febre da Amazônia.

Conseguimos então, com a ajuda da Organização Mundial de Saúde (OMS), realizar pela primeira vez uma campanha de vacinação em massa da Hepatite B em todo o estado do Amazonas, pois a vacina da Hepatite B protege indiretamente ao vírus do tipo D. A primeira dose foi aplicada na cidade de Lábrea pela Enfermeira cedida pelo Ministério da Saúde, Miracy Reges, e contou com apresença do Presidente do Brasil José Sarney e o Governador Gilberto Mestrinho. Existem também as hepatites não virais que podem ser adquiridas pelo uso indevido de medicamentos e o abuso de álcool.

Enfim, neste novo tempo de pandemia reacendemos a necessidade do indivíduo em adotar medidas de prevenção incluindo cuidados básicos de higiene para evitarmos a propagação de doenças virais. Portanto, seja cuidadoso com sua saúde, continue lavando corretamente suas mãos, cuide da sua alimentação, consuma água filtrada, não compartilhe seus objetos pessoais (alicates, toalhas, pinças, etc.), use preservativos nas relações sexuais e não hesite em tomar qualquer vacina disponíveis em nossa rede pública, pois salvam nossas vidas. Cuidem-se!

Compartilhar
Euler Ribeiro
*Amazonense de Itacoatiara. Médico, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia. Ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal pelo Estado do Amazonas. Fundador e atual Reitor da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade. Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui