*Francisco de Abreu Cavalcante

I
Motivação para uma vida viver,
Disperso dos tristes infortúnios,
Às lidas diárias de um triste ser
Achar luz nos fins de sonhos.

II
Instantes obtidos de modo feliz,
Eufóricos, num intuito espetacular,
Forjado do jeito que sempre quis,
À mera alegria poder compartilhar.

III
O culto à alegria traria felicidade
Com certeza, naqueles momentos,
Se abstenha de alguma maldade,
Seguindo salutares pensamentos.

IV
Ó felicidade, sede em minh’alma,
A mais esplêndida expressão,
Uma feliz sonata que me acalma,
A me inspirar uma doce canção.

V
És real essência de minha história
Me fazendo entender e sonhar,
Com bons momentos de glória
Para teus bônus poder alcançar.

VI
Acho que a tua sutil existência
Parece estar por perto de mim
A me afagar com leve aparência,
Por tentar levar uma vida assim.

VII
Proporcionar-me, o mérito procuro
Para que eu possa razões conseguir
Eflúvio de sentimento não obscuro,
E poder felizes momentos adquirir,

VIII
Quanta alegria toda alma sentiria
Em dar amor e prestar a caridade,
Todo homem na terra conheceria
Instantes de viver a real felicidade.

IX
Todos dispomos força maravilhosa
A habitar dentro de nosso coração,
Só nos resta praticar ação gloriosa
Pois a força é a nossa imaginação.

X
Assim vivo própria vida a procurar
Nos alicerces de plena bondade,
Razões que me levem a alcançar
Pequenos momentos de felicidade.

*Poeta e professor aposentado, natural de Itacoatiara. Graduado em Letras, Língua Inglesa. Integrante do Coral João Gomes Júnior.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui