*Manoel Domingos de Castro

O ypê vai florir novamente,
Na sua biologia amarela,
Na quietude da floresta,
Na contradança do vento,
No gorjeio do canário em festa.

O ypê vai azular novamente,
Vai doar novos botões,
Para reforçar os amores,
Vai reunir os corações,
E traduzir-se em novas flores…
Depois dessas “coronações”,
Vidas sem ar, águas sem fontes,
O ypê vai colorir eprovar,
Que virão novos horizontes.

*Natural de Itacoatiara/Am. Poeta, professor e escritor. Membro da Associação dos Escritores do Amazonas (ASSEAM), da Academia de Letras e Cultura da Amazônia (ALCAMA), da Associação Brasileira de Escritores e Poetas Pan-amazônicos (ABEPPA) e do Movimento Internacional da Lusofonia ((MIL). Professor efetivo da UEA. Mestre e doutorando em Letras pela UTAD (Portugal). Fundador da Sociedade dos Poetas Porunguitás. Tem vários artigos publicados, além de 6 livros de poesia.
Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui