Hoje, a partir das 10h, na casa de Bernardo Ramos, que fica na rua do mesmo nome, 177, centro de Manaus, haverá a solenidade de despedida do professor Antonio José Souto Loureiro da presidência do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas (IGHA), a entidade cultural mais antiga do Estado. Na oportunidade, Loureiro prestará contas de sua gestão, falará sobre o centenário que se aproxima, lançará um selo comemorativo do evento e exporá alguns dos livros de sua vasta biobibliografia. Após, será servido um frugal coquetel, como é de seu feitio.

Quero registrar publicamente, pois já o fiz entre os meus confrades de IGHA, que considero Antonio Loureiro um presidente admirável, um administrador competente, um homem despido de vaidades, que não inveja e nem faz intrigas, um camarada, enfim, transparente, abrangente e confluente, que, sem desligar-se das tradições, abre espaços para o novo e nos encanta e inspira com a sua capacidade de contar a história por uma ótica aprofundada e, nos mais das vezes, surpreendente.


despedida_loureiroFotografia da Sessão do IGHA, despedida do Presidente Loureiro: 11/12/2016.

Ele deixa a direção do IGHA, mas ainda o teremos atuante por muitos anos, tenho certeza, para nos orientar nos momentos difíceis. Momentos difíceis, aliás, Loureiro e seus companheiros de diretoria, enfrentaram, por quatro anos, mas conseguiram deixar um apreciável legado, como disse o nosso vice-presidente, o professor João Bosco Botelho: “Sob a liderança do Dr. Loureiro, é necessário ressaltar os acréscimos, tanto na estrutura física, com custos reduzidos, quanto na produção intelectual, com a revitalização do andar térreo, antes abandonado e pleno de entulhos, bem como com a publicação de vários números da revista do IGHA, lançamento de livros, conferências, cursos, congressos e reuniões científicas”.E eu acrescento que  o mais incrível de tudo é que, mesmo com o atraso no repasse de verbas oficiais, Loureiro deixa o caixa do IGHA no azul, pois foi previdente e prudente, coisa que falta a muitos administradores país afora.

Parabéns, professor! Foi uma honra ter ingressado no IGHA na sua gestão,  poder trabalhar sob seu benfazejo comando e aprender mais um pouco com sua sabedoria.

Compartilhar
Júlio Antônio Lopes
*Amazonense de Manaus, Advogado, jornalista, escritor e editor. Em âmbito regional é membro da Academia Amazonense de Letras; do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas; da Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas - seu atual presidente; da Academia de Letras do Brasil-Am; da Academia de Letras e Culturas da Amazônia; da Associação dos Escritores do Amazonas; e da Associação Brasileira de Poetas e Escritores PanAmazônicos. Idealizador e fundador da Academia de Ciências e Letras Jurídicas do Amazonas - a Casa de Bernardo Cabral. Integra, como membro efetivo, a Academia Brasileira de Ciências Morais e Políticas; a Academia Internacional de Jurisprudência e Direito Comparado; a Confraria Dom Quixote; a Associação Nacional dos Escritores, sendo, ainda, sócio correspondente da Academia Carioca de Letras; e da Academia Cearense de Direito;) e sócio honorário da Academia Paraibana de Letras Jurídicas. Faz parte também do Conselho Consultivo da Academia Brasileira de Direito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui