O mestre D. Luiz foi professor de Português, Literatura Brasileira e Portuguesa, Língua Italiana, Filosofia, Educação Moral e Cívica, Cultura Brasileira, Estudo de Problemas Brasileiros, Ciências e Letras, Direito Canônico e Filosofia da Religião.

A Academia Amazonense de Letras elegeu, no dia 28 de agosto de 1997, para uma de suas cadeiras o Arcebispo Metropolitano de Manaus, D. Luiz Soares Vieira, hoje, Bispo Emérito de Manaus. Dessa forma, mantém a tradição de um religioso em seus quadros, exaltando o nome e a tradição de quantos passaram por lá e deixaram suas valiosas contribuições literárias. Com esta aquisição, esse silogeu tornou-se mais forte e mais pujante, como forte e pujante são os ideais de quem fez e faz parte da história da Academia Amazonense de Letras.

D. Luiz Soares Vieira ao tornar-se Arcebispo e recebendo oficialmente a Arquidiocese do Amazonas, no Vaticano. (Foto:AcervoAbrahimBaze)

D. Luiz Soares Vieira nasceu na cidade de Conchas, em São Paulo, no dia 02 de maio de 1937, filho de Luiz Carlos Vieira e Judith Soares Vieira. Recebeu os primeiros ensinamentos no Grupo Escolar Itatinga, no ano de 1944, concluindo em 1947. Sentindo o chamamento para vida religiosa, cursou o ginásio e o clássico já no Seminário Diocesano, em Botucatu, no Estado de São Paulo, de 1948 a 1953. A partir dessa data, já era forte e definida sua vocação religiosa, prosseguindo o estudo superior de Filosofia, no Seminário Central do Ipiranga, também, no Estado de São Paulo, nos anos de 1954 a 1956.

Mas o compromisso vocacional era grande e foi mais forte, formando-se em Teologia, na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, de 1956 a 1960. Retornando ao Brasil, continua sua preparação religiosa em filosofia, na Universidade de Mogi das Cruzes, em São Paulo, até 1970, bacharelando-se e licenciando-se em Teologia e graduando-se em Filosofia. É também sócio-fundador da Academia Amapaense de Letras. Nessa peregrinação, em busca da formação religiosa, esteve nos seguintes países: Italia, França, Alemanha, Áustria, Suíça, Espanha, Portugal, Estados Unidos da América, Japão, China, Hong Kong, Tailândia, Malásia, Singapura, Indonésia, Austrália, Nova Zelândia, Ilhas da Sociedade e Chile.

D. Luiz Soares Vieira já como arcebispo de Manaus. (Foto: Acervo AbrahimBaze)

O sacerdote D. Luiz Soares Vieira foi Vice-reitor do Seminário Diocesano de Botucatu, entre 1960 a 1962; Vigário Ecônomo de Chavantes, em São Paulo, entre 1962 a 1969; Pároco de Pirapó, no Paraná, entre 1969 a 1978; Pároco de São Benedito, em Apucarana, também no Paraná, entre 1978 a 1980; Pároco de Sabáudia, no Paraná, entre 1980 a 1982; Pároco da Santíssima Trindade, em Apucarana, de 1982 a 1984; Vigário Ecônomo de Nossa Senhora de Guadalupe, em 1982; Vigário Episcopal da Zona Pastoral de Pirapora, de 1975 a 1978; Vigário Episcopal da Zona Pastoral de Astorga, no Paraná, de 1980 a 1982; Vigário Episcopal da Região Centro-Norte, de 1982 a 1984; Juiz Oficial do Tribunal Eclesiástico da Diocese de Apucarana, entre 1970 a 1984; Vigário Capitular da Diocese de Apucarana, entre 1982 a 1983; Vigário Geral da Diocese de Apucarana, entre 1983 a 1984; Reitor do Seminário de Filosofia de Apucarana, entre 1982 a 1984; Bispo Diocesano de Macapá, em 1992; Membro Delegado do Episcopado Brasileiro, na IV Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano.

O mestre D. Luiz foi professor de Português, Literatura Brasileira e Portuguesa, Língua Italiana, Filosofia, Educação Moral e Cívica, Cultura Brasileira, Estudo de Problemas Brasileiros, Ciências e Letras, Direito Canônico, Filosofia da Religião. Registra-se, ainda, que foi Diretor da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras, em Apucarana, no Paraná e Diretor da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis de Apucarana.

D. Luiz Soares Vieira celebrando missa. (Foto:Reprodução/TV Apararecida)

D. Luiz Soares Vieira recebeu a medalha de Mérito Industrial FIEAM 2011. (Foto:Divulgação/Fieam)

Como escritor publicou vários artigos em revistas e jornais, em todo o Brasil, como por exemplo, Filosofia e Ciências Experimentais, Oposição ou Contemplação, Síntese do Direito Processual da Igreja, Aspectos Jurídicos do Matrimônio e Problema da Liberdade.

Compartilhar
Abrahim Baze
*Amazonense de Manaus. Graduado em História pelo Centro Universitário do Norte e pós-graduado em Ensino à Distância pelo Centro Universitário UNISEB-COC, de Ribeirão Preto/SP. Recebeu o título de Notório Saber em História, pelo CIESA, de Manaus/AM. Fundador e organizador dos museus da Sociedade Beneficente Portuguesa do Amazonas, Luso Sporting Clube, Rede Amazônica, Memorial e Biblioteca Senador Bernardo Cabral, Centro Cultural Luso Brasileiro do Amazonas, Centro Universitário Luterano de Manaus, Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos e do Atlético Rio Negro Clube. Diretor do Instituto Cultural da Fundação Rede Amazônica e apresentador dos Programas de TV: Literatura em Foco e Documentos da Amazônia. Autor de mais de 65 títulos sobra História da Amazônia. Membro da Academia Amazonense de Letras, Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas, Academia de História do Amazonas, Academia de Medicina do Amazonas, Academia Maçônica de Letras do Amazonas, Associação Nacional de Escritores (Brasília), Associação dos Escritores do Amazonas e Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui