É sempre uma alegria quando a nossa netinha Maria Luísa nos visita. Apesar das restrições sanitárias devido a pandemia, as relações familiares foram relativizadas quanto ao isolamento social. Sempre com os cuidados naturalmente. Num arroubo de alegria exclamamos:

-É sempre uma grande felicidade quanto você está conosco!.

No que ela, no auge de seus quatro anos, pergunta de pronto:

-Vovô, o que é conosco?

Lembrei-me da missa, quando o sacerdote nos saúda, dizendo:

– O Senhor esteja convosco.

A pergunta de Maria Luísa é pertinente. A forma de tratamento vós, ou seja, a segunda pessoa do plural, tornou-se muita rara tanto no Brasil como em Portugal. Limita-se a uso dialectal, litúrgico ou formal.

No português contemporâneo, a pessoa a quem se fala, pode ser expressa pelos pronomes tu ou ainda pelo pronome de tratamento você. Maria Luísa foi ensinada a usar o senhor e a senhora, para mais velhos. O que expressa respeito e consideração.

Aqui no Amazonas usamos muito o tratamento tu. No Sudeste tem predominado o você. No Rio grande do Sul, o tratamento por tu é dialectal. Usa-se entre familiares e amigos. Usa-se também, o respeitoso o senhor e a senhora. O gaúcho não usa muito o pronome você. Não é nem familiar nem respeitoso. Seria uma demonstração de indiferença e pode ser pejorativo.

Em Francês existe o pronome vous. Usa-se em situações formais: com desconhecidos, pessoas idosas, no ambiente de trabalho. Tem até um verbo para seu uso: o verbo vouvoyer. Os franceses se utilizam do pronome tu nas relações informais com a família, amigos, filhos e entre pessoas da mesma idade. Existe também um verbo para isso, o tutoyer.

Disse para Maria Luísa que conosco significa com a gente. É ainda complicado para ela entender o que são os pronomes oblíquos tônicos. Consultando a gramática temos relacionados os oblíquos tônicos, na  1ª pessoa do singular (eu): mim, comigo; na 2ª pessoa do singular (tu): ti, contigo; na 1ª pessoa do plural (nós): nós, conosco; na 2ª pessoa do plural (vós): vós, convosco.

Em tempos de pandemia, lembrei-me novamente da missa e do padre. Que o Senhor esteja sempre conosco nesses dias de medo e apreensão. Conosco e convosco.

Compartilhar
Pedro Lucas Lindoso
*Bacharel em Direito e licenciado em Letras pela Universidade de Brasília. Membro efetivo do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas. Pertence a Associação dos Escritores do Amazonas e a Academia de Letras Ciências e Artes do Amazonas. Membro fundador da Academia de Ciências e Letras jurídicas do Amazonas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui