Evoluímos bastante na cura de doenças e tratamentos cada vez mais avançados, mas infelizmente ainda sofremos com as terríveis dores de cabeça.

A dor de cabeça ou Cefaleia (termo técnico) é uma condição frequente que funciona como como um sistema de advertência do nosso corpo, avisando que algo não está bom. O problema é identificar exatamente a causa desta dor pois existem diversos tipos de cefaleias e de diversas origens, inclusive emocionais.

Uma noite mal dormida, alimentação, estresse e desequilíbrio hormonais são fatores frequentes para desencadear as dores de cabeça.

É necessário identificar o tipo para o tratamento adequado e buscar ajuda médica de urgência quando há a dor súbita e extremamente intensa.

As enxaquecas, por exemplo, são tipos de cefaleias crônicas, com potencial de interferir na qualidade de vida da pessoa, causam náuseas, vômitos e uma sensibilidade a luz e barulho levando o indivíduo a um isolamento social e muitas vezes à evasão de trabalho e escola. Este tipo de cefaleia geralmente é causado por alterações hormonais, desequilíbrio químico do cérebro, alterações na visão e fatores comportamentais e ambientais.

Já as cefaleias tensionais, que ocorrem esporadicamente, são desencadeadas por estresse, ansiedade, depressão. Neste caso além da medicação é recomendável também a mudança no estilo de vida como alimentação saudável, atividades físicas e ingestão de água. Este tipo de dor de cabeça geralmente afetam as mulheres com rotinas de trabalho estressante. Relaxar e realizar uma atividade física é a melhor forma de evitar estes tipos de dores.

Outro fator que comumente provoca dor de cabeça são problemas como o bruxismo, a pessoa range os dentes involuntariamente e provoca tensão no músculo da face, recomenda-se neste caso buscar ajuda odontológica para realizar o tratamento adequado.

Uma nova queixa que também tem tomado os consultórios infantis, são as dores de cabeça em crianças causadas pelo excesso de uso de computador e celular. As crianças geralmente se queixam de couro cabeludo sensível, tensão nos olhos e na nuca, a condição pode piorar e agravar outras áreas do corpo como a visão e a coluna. A melhor prevenção é a redução do uso de smartphones, com muita disciplina nós conseguimos.

Infelizmente temos o hábito da automedicação e isto pode agravar os quadros de cefaleias, um quadro alarmante mostrado pela Academia Brasileira de Neurologia (ABN) aponta que 58% das pessoas que sofrem de cefaleia indicam analgésicos para os outros, e 50% aceitam as indicações de não profissionais, sem contar as pesquisas na internet para receitas milagrosas.

Portanto, busque sempre ajuda médica especializada e não tome medicação por conta própria, e continuo firme divulgando que todos nós podemos ter uma qualidade de vida melhor e reduzir várias enfermidades mudando nosso estilo de vila através de uma boa alimentação e atividades físicas.

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui