27 C
Manaus, Am - Brasil
sexta-feira, julho 10, 2020

Literatura

Miracanguera

Miracanguera Da terra sagrada Das terras pretas Falam ao tempo Tuas ribanceiras Do furo Arauató Do menino remando Do poeta do terreiro de vidro Do pescador encantado quando fala De experiências Da cobra grande que come o jacaré No lago de Serpa Do boto vermelho Grande que...

Soneto do entardecer no porto

Luz movediça nos beirais pousando, violáceos traços restos do horizonte, longínquos barcos, mastros se embalando na música do dia que se fende.   Nos brilhos de ternura, mágoa e tédio do olhar da moça preso na chegada; o porto a pressentir...

O Cordel na Amazônia

Walmir de Albuquerque Barbosa* Embora o elemento colonizador fosse o mesmo, a língua e os costumes iguais, a expressão literária, oral ou escrita, na Amazônia, é bem diversa da expressão literária do Nordeste. Acreditamos que...

Pintando nossa aquarela

Só é cantador quem traz no peito, o cheiro e a cor de sua terra, a marca de sangue de seus mortos e a certeza de luta de seus vivos.   François Silvestre. Qualquer estrangeiro poderá  conhecer o município a...

Pedra gulosa

Itacoatiara, Dos adjetivos: Das pedras gulosas, Das pedras riscadas, Das pedras pintadas, Cabocla... Velha Serpa de 330 anos Da piracema do jauari Do jaraqui... Das terras pretas de 10 mil anos ( dos primeiro assentamentos humanos ) Da Miracanguera, Dos poetas Anísio Melo e Élson Farias, Do...

Serpa Verde, flor de amor

Serpa verde Enraizada de cor Natureza vestida de amor, Contempla a ternura e flor... Foi tudo que natureza sagrada s nos deixou... Quando chegara a velha Serpa Eu vi uma floresta de muricizais A lamêda dos buritizais Enamorando ao vento... E as...