A medida que nós vamos envelhecendo perdemos naturalmente as funções. Normalmente diminuem a acuidade visual e a audição, o paladar se modifica, a sensibilidade térmica e dolorosa perde amplitude, o metabolismo desacelera, os rins diminuem de tamanho e perde glornérulos e a filtração glomerular reduz cerca de 30 a 40 por cento sua capacidade. Os ossos modificam sua estrutura ficando mais frágeis, o coração aumenta de tamanho e perde sua força contrátil, prejudicando a hemodinâmica, as células sanguíneas diminuem a hemoglobina dos glóbulos vermelhos comprometendo a oxigenação celular. Os glóbulos brancos na maioria das vezes diminuem a capacidade de fagocitar corpos estranhos, diminuindo assim a defesa orgânica. A ventilação pulmonar perde lentamente a capacidade de trocas gasosas.

As células cerebrais a partir dos 35 anos de idade desaparecem a cada noite em media 30 mil células nervosas, comprometendo a memória. o que mais preocupa e a perda de cerca de30a40 por cento da água intracelular.” Mas o que mais preocupa é a perda de cerca de 30 a 40 por cento da água intracelular. E mais: a capacidade de ter sede desaparece! Se não existir uma pessoa ou cuidador familiar que a cada hora ofereça líquidos à pessoa idosa, a mesma ficará sem tomar líquido e imediatamente ficará desidratada. Se apresentar febre, diarreia e vômito, o risco de arritmia cardíaca é uma ameaça permanente, pois a necessidade de líquido dia nas 24 horas é de no mínimo 30 ml de qualquer líquido por cada quilograma de peso corporal. Portanto, cuidado com seus idosos, pois eles naturalmente já são desidratados. Se um idoso muda o comportamento e se agita tem delírios, pode ser um indício de agravamento da desidratação, que pode levar a óbito. Logo a água é indispensável à própria vida. Nunca negligenciem a atenção que deve ser dada aos idosos com relação à ingestão de líquido, pois pelo fato de ser normalmente desidratado, o risco de complicações com morte fica sempre iminente. Água é vida!

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui