Equipe organizará acervo de Gilberto Freyre

0
69

João Valadares

*João Valadares

Resgate do acervo documental acontece na casa onde morou o sociólogo, antropólogo e escritor. Esperança é encontrar ‘Jazigos e Covas Rasas’, livro perdido, e autobiografia inédita.

Um garimpo minucioso de manuscritos e documentos históricos que estavam acumulados nas gavetas de móveis antigos da casa em que morou Gilberto Freyre, no Recife, pode revelar obras inéditas do sociólogo, antropólogo e escritor.

É grande a expectativa de ali encontrar o livro desaparecido “Jazigos e Covas Rasas” e uma autobiografia intitulada “À Procura do Menino Perdido”.

Editoras brasileiras já começaram a procurar a Fundação Gilberto Freyre na tentativa de fechar negociação sobre a possível descoberta para futuras publicações.

Além dos dois títulos inéditos, há também a esperança de encontrar anotações sobre o período colonial brasileiro que serviram como material de pesquisa para “Casa Grande & Senzala” e também correspondências trocadas entre Freyre e escritores brasileiros e estrangeiros.

As milhares de folhas de papel, guardadas numa sala de um prédio anexo à fundação, estão à espera de uma equipe de 12 pessoas, entre pesquisadores, bibliotecários e restauradores.

O material, que estava espalhado por toda a casa, onde hoje funciona a Fundação Gilberto Freyre, no bairro de Apipucos, foi separado cuidadosamente há dois meses e colocado em 50 sacos plásticos grandes.

“Jazigo e Covas Rasas” é justamente a obra que completaria a chamada tetralogia de Freyre. A série sobre a sociedade brasileira, que engloba transformações econômicas e sociais desde o ciclo da cana-de-açúcar, é composta por “Casa Grande & Senzala”, “Sobrados e Mucambos” e “Ordem e Progresso”.

A gerente de acervo da Fundação Gilberto Freyre, Jamile Barbosa, conta que, em relação a “Jazigos e Covas Rasas”, já haviam sido localizados materiais de pesquisa e o prefácio manuscrito e datilografado do livro.

“Tinha papel em todo canto que você imaginar. Tiramos tudo das gavetas, de todos os lugares, juntamos e colocamos lá na parte de cima.”

Gilberto Freyre contava que, após concluir o livro, o embrulhou num veludo vermelho e colocou numa estante de sua casa.

“O professor Edson Neri da Fonseca, muito próximo dele, me contou que Freyre mostrou onde havia colocado o volume. Nunca encontramos”, afirma Jamile.

A escritora Fátima Quintas, com cinco livros publicados sobre a obra do sociólogo, declara que fez várias pesquisas em Portugal, entre 1968 e 1970, a pedido de Freyre.

“Eu o ajudei muito com esse material para ‘Jazigo e Covas Rasas’. Fui a vários cemitérios de Portugal. Ele pedia que eu anotasse o que tinha escrito nas lápides. Entreguei tudo a ele”, diz.

Ela afirma que a nora de Freyre chegou a encontrar a página de agradecimentos do livro. “É muito misterioso. Ele sempre disse que essa obra estava pronta. Não cheguei a ver. Ele realmente escreveu e morreu dizendo que o livro tinha sumido.”

Gilberto Freyre

Quintas relata que Freyre costumava falar com ela sobre a importância da obra. “Ele dizia que tinha interpretado o Brasil através da vida e, com esse livro, interpretaria o país através da morte. A ideia é muito original.”

Sobre “À Procura do Menino Perdido”, existe um material maior já localizado. “Identificamos muitos cadernos manuscritos com a numeração. Tem bem mais coisa localizada, mas não foi uma obra que ele deixou concluída”, ressalta Jamile.

O projeto de resgate do acervo documental, no valor de R$ 1 milhão, já foi aprovado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

O trabalho, que ainda não começou por questões meramente burocráticas, será concluído em dois anos. Mais dois projetos, que somam R$ 2,9 milhões – um de requalificação da estrutura da fundação e outro que cuidará do acervo museológico -, também foram aprovados.

*Jornalista. Matéria na Folha de São Paulo, Caderno Ilustrada C4, de 10/04/2018.
Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui