*Humberto Figliuolo

Temos um novo governo estadual para o próximo quadriênio. Chama de esperança para o Amazonas, e um novo desafio para a futura equipe governamental.

A saúde a luz de sua definição é o estado de completo bem-estar fisico, mental e social, e não meramente a ausência de doenças. Ela representa a pedra fundamental, para qualquer governo que tenha pelo povo, o respeito que ele merece. O governo que encara este problema com seriedade, tem nele um multiplicador de forças. Quem diz saúde diz alegria de viver, capacidade de produzir.

E preciso que se tenha sempre em mente as profundas e inadiáveis mudanças, que se fazem necessárias no sistema de saúde do Amazonas e se tornarão possiveis com a mobilização popular, falando suas queixas para uma imprensa comprometida em veicular essas informações. Não se pode menosprezar a saúde do povo.

Posso dizer que a saúde no Estado do Amazonas vem sendo aperfeiçoada, melhorada e avança para diminuir a diferença da saude da capital com a do interior. A sociedade está atualmente mais sensibilizada para a importância do fator saúde, mostrando-se cada vez mais interessada em receber informações a cerca de sua patologia e do tratamento que lhe é prescrito. Acesso à saúde e um direito seu.

Sabemos que os recursos são limitados e precisam ser utilizados de maneira eficaz para a solução de situações que necessitam ser identificadas e corrigidas. Como os recursos são finitos, exige mais transparência e uma nova gestão para aperfeiçoá-lo.

As responsabilidades do Estado são crescentes, e a sociedade exige que o funcionamento do sistema de saúde esteja voltado para conseguir resultados compatíveis com as aspirações e necessidades. É imperioso a melhoria salarial e novos concursos para o setor, ou a contratação de serviços privado de saúde, para complementar a rede pública, principalmente no interior, seria um avanço.

A missão é coordenar e liberar o conjunto de ações de promoção proteção e recuperação da saúde identificando riscos e necessidades prolongando e melhorando a qualidade de vida de todo o povo amazonense

Não administrando a doença como alavanca dos serviços de saúde, mas como uma tragédia pessoal e coletiva onde não foi possível antecipar.

Humanizar a atenção à saúde é valorizar a dimensão subjetiva e social, em todas as práticas de atencão e de gestão no Sistema Único de Saúde – SUS, fortalecendo o compromisso com os direitos do cidadão pela consolidação de três objetivos especificos: 1 – Reduzir as filas e o tempo de espera, ampliando o acesso e um atendimento acolhedor e resolutivo, baseado em critérios de risco; 2 – informar a todos os usuários sobre quem são os profissionais de saúde com seus respectivos horários de atendimento, se cumprido esse item com certeza acabaremos com a superlotação: o maior drama da saúde; 3 – ampliar a lista de medicamentos disponiveis na assistência farmacêutica para diminuir custos hospitalares aumentando assim as possibilidades de acessos aos medicamentos.

O momento é de transição e de muita expectativa nos rumos em que o Amazonas tomará a partir dos próximos anos. Os problemas que nos afligem, são muitos e de naturezas diversas, não se pode negar a extraordinária expansão urbana e demográfica que recebeu o Amazonas após a criação da Zona Franca. Como também não se pode negar a deterioração das condições de vida da população devido ao éxodo do interior e imigração dos irmãos de outros Estados em busca de novos horizontes onde o sonho não aconteceu e as séries de problemas começam com desemprego, invasões, palafitas e a fome. Sendo assim uma massa humana improdutiva, amedrontada, tutelada e semianalfabeta e sem planejamento familiar, fácil presa de manipulações demagógicas, e já se vão trinta anos da criação do Polo Industrial de Manaus.

Espera-se, assim, que os recursos do SUS sejam utilizados de forma eficiente e, sobretudo, voltados para a busca da equidade e da integralidade da atenção à saúde.

O novo governo tem que definir com objetividade, a politica para o setor. Vamos conquistar o futuro com um desenvolvimento de primeira linha com um sistema de saúde mais abrangente e eficaz. A fim de assegurar melhores condições de saúde para os amazonenses. Somos permitidos a sonhar.

*Farmacêutico, membro do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui