Pertence ao quarto livro “Miséria e Utopia no Terceiro Milênio” a ser publicado em breve.


*Francisco de Abreu Cavalcante

 

XXII
A política no mundo inteiro tornou-se
Profissão de elite, escusa e agradável,
Com base em antigas práticas amigas,
Fácil, e inescrupulosamente, rentável.

XXIII
Do ponto de vista liberal existente
O que todos querem, é bem fácil obter,
Devem manipular os devidos arranjos
Que os políticos, há tempos, sabem fazer.

XXIV
Clamo a Deus aqui pelos insensatos
Que agem sempre com má intenção,
Exercendo qualquer cargo político
Que lhe permite tais meios de manipulação.

XXV
Com certeza, a mão de Deus não faltará
Para acolher os famintos desamparados,
Assim como as leis divinas são implacáveis
A penalizar os responsáveis desalmados.

XXVI
Acho que os ricos do orbe terrestre
Têm obrigações no mundo a cumprir,
Sobretudo de amparar os infelizes famintos
Marginalizados, sem nada possuir.

XXVII
A riqueza dos homens inteligentes
É certo, Deus não a condena, não!
Apenas lhes dá por empréstimo
Para ser usada com sábia destinação.

XXVIII
Embora, embasado em triste utopia,
Que Deus, melhor, poderia classificar,
A existência de tantos multimilionários
Que vivem egoisticamente a esbanjar.

XXIX
A união de poderes políticos e bilionários
Determinados à miséria humana extinguir,
Eliminaria a pobreza existente no mundo,
Permitindo a vida sem mácula, prosseguir.

XXX
Ah! Se tal união de homens houvesse
Com intenção da miséria humana acabar,
Quem sabe Deus se sentiria feliz, e até
Mostraria os meios de o praticar.

XXXI
Conforme está nas Escrituras Sagradas:
Ainda vivemos no mundo de expiação,
Para, um dia, a vida no planeta se tornar
Livre da incompreensão.

XXXII
Dos sete bilhões de almas que vivem na Terra,
Presenciando egoísmo e divisão social,
Ricos saudáveis, Pobres miseráveis,
Um bom trabalho, nisso tudo, colocaria um ponto final.

*Poeta e professor aposentado, natural de Itacoatiara. Graduado em Letras, Língua Inglesa. Integrante do Coral João Gomes Júnior.
Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui