Com a pandemia do novo coronavírus instaurada no planeta tomamos consciência da importância da higiene em nossas vidas. Até o século passado as pandemias causavam a morte de milhões de pessoas com a propagação rápida das doenças devido as péssimas condições de saneamento nas grandes cidades, porém evoluímos e mesmo com o avanço da urbanização e do desenvolvimento das vacinas ainda somos suscetíveis a outras enfermidades devido à falta de cuidados básicos com nossa saúde.

Infelizmente ainda não dispomos de um sistema sanitário adequado em nosso país. Pesquisas realizados em 2018 pelo IBGE apontam que a maioria das pessoas de baixa renda é afetada com a falta de saneamento básico e a destinação incorreta do lixo doméstico. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2018), são mais de 72,4 milhões de brasileiros que vivem em residências sem acesso à rede coletora de esgoto, agravando a possibilidade de doenças. E de extrema urgência que seja priorizada as questões de saneamento básico em todos os municípios.

Novos comportamentos serão esperados da humanidade após este acontecimento que tem afetado a vida de todos, mas quero chamar atenção especialmente a um fator que gera impacto no cotidiano dos brasileiros: a higiene. Podemos dizer que a higiene é um conjunto de conhecimentos e técnicas que visa a promoção da saúde e a prevenção de doenças, principalmente as infecciosas. Pequenos hábitos devem fazer parte do nosso dia a dia independente de situações críticas como esta a qual estamos passando.

A ideia é não virarmos os maníacos da limpeza ou causar neurose social, mas sim de uma transformação através de uma consciência coletiva com hábitos novos que beneficiem a todos. Vejamos Higiene pessoal: Lavar as mãos corretamente com água e sabão sempre que estiver em contato com sujeira em locais públicos, ao utilizar o banheiro, ao pegar em cédulas de dinheiro e quando usar outros meios de contaminação como corrimão e maçanetas. O álcool em gel ajuda quando não há água disponível, o ideal é lavaras mãos sempre. Ao tossir todos devem cobrir a boca como cotovelo para não infectar as mãos e imediatamente a área deve ser lavada. Não falar, tossir, espirrar ou coçar o nariz perto dos alimentos, uma cena comumente vista em restaurantes são as filas de self service com pessoas conversando perto das comidas, evite esse comportamento. A higiene bucal também é essencial para evitar agravamento de doenças como a diabetes e doenças cardiovasculares, ensine as crianças a escovarem os dentes sempre após as refeições. Um hábito recente adotado durante o período de quarentena e que devemos implementar em nossas residências é com relação aos sapatos, retire os sapatos ao chegar em casa e limpe a sola destinando um local específico para eles.

Higiene com alimentos: Comer frutas e verduras é a melhor opção para melhorar nossa saúde, porém todas devem ser higienizadas com água corrente.

Além de proteger os alimentos das moscas e insetos podemos também utilizar soluções como vinagre ou cloro (1 colher de sopa para cada 1 litro de água) para evitar micro organismos causadores de doenças. Por fim, temos a higiene doméstica e ambiental.

Como cidadãos é nosso dever zelar pelo meio ambiente, além da faxina em nossa residência para eliminar os agentes alérgicos e as pragas, temos ações que dependem de todos para promover nossa saúde como não deixar acumular água e evitar o mosquito da dengue, destinar corretamente o lixo doméstico, não realizar queimadas no quintal e assim por diante. Juntos, podemos mudar literalmente nosso pequeno mundo. Cuidem-se!

Compartilhar
Euler Ribeiro
*Amazonense de Itacoatiara. Médico, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia. Ex-secretário de Saúde e ex-deputado federal pelo Estado do Amazonas. Fundador e atual Reitor da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade. Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui