A câimbra é um sintoma de contração involuntária de um músculo ou de parte deste, cuja expressão desta contração é traduzida por uma dor aguda que pode variar em tempo, como se fosse uma simples fisgada ou se prolongar por alguns’ segundos, deixando sempre uma dor constante residual.

Como se procede esta contração? Os músculos têm seu próprio. poder contrátil, dependendo das necessidades de força e equilíbrio. Isto se dá por um mecanismo que necessita de certos sais na placa neuromuscular, responsável pelo funcionamento deste ou daquele grupo muscular. E quais são estes sais? Potássio, sódio e magnésio. E como podemos agregar estes sais ao organismo? Com alimentos e com reposição específica com medicamentos. Os alimentos mais ricos, principalmente em potássio são: banana, batata, tomate, inhame, brócolis, carne vermelha e tantos outros. A câimbra ocorre quando falta um destes sais, p eliminação provocada, por exemplo, por diuréticos ou por exaustão após exercício prolonga do, principalmente nos esportistas que usam demasiadamente a força muscular dos longos músculos loco motores, como os da parte anterior e posterior da coxa, os músculos abdominais e tantos outros como são os pequenos músculos das mãos e dos pés.

As pessoas idosas, por uso continuado de certos medicamentos, tais como a hidroclotiazida e a furosemida, que são potentes diuréticos e que, portanto, aumentam a filtração glomerular, com eliminação preocupante de potássio, sódio e magnésio e também por sarcopenia, que nada mais é a perda da estrutura das fibras musculares que fazem parte do processo natural do envelhecimento, acabam por passar pelo processo de hipo-potassemia, que forçosamente acaba por produzir importantes câimbras, principalmente quando estão em repouso, daí a frequência maior deste sintoma durante o sono noturno. Às vezes, quando estas câimbras atingem os músculos abdominais, diafragmático e intercostais, podem até levar a parada cardio-respiratória e, como consequência, levar à finitude.

E o que fazer? Prevenir, prevenir e prevenir! Temos que cuidar de nos alimentar com pelo menos duas bananas ao dia, dois tomates, purê de batata, suco de laranja, salada de brócolis, suco de caju, uma tigela de açaí ou ir ao médico para que o mesmo receite medicamentos ricos em potássio pelo menos 400mg duas vezes ao dia.

Mas a crendice popular leva a maioria dos idosos e até pessoas de meia idade que sofrem este sintoma a aderirem aos seus ditos. Simpatias sim, que existem tantas e tantas vezes são empregadas por pessoas de todos os níveis culturais. Um destes dias, em conversa com amigos próximos, surgiu o assunto sobre câimbras e logo todos se manifestaram indagando quem não as tem depois dos cinquenta bons anos vividos. Foi um clima de gargalhadas, pois todos que estavam naquela reunião já tiveram ou ainda as tem tido com frequência. E vieram de pronto as receitas, toma isto, toma aquilo que me fez bem! Porém um dos participantes disse: “Eu uso a simpatia da minha avó, que é amarrar um barbante nas minhas pernas durante a noite e depois disso feito não tenho tido mais câimbras!”. Fiquei a princípio quieto, mas a curiosidade me fez partir  imediatamente a procura de um barbante para colocar nas minhas próprias pernas à noitinha. E sabem de uma coisa: Não mais tive câimbra a partir daquela noite! Acreditem se quiserem, mas a verdade tem que ser dita. Portanto, acreditando ou não, experimentem!

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui