Poema recolhido da obra “Pedra Pintada (uma viagem à cidade da minha primeira infância)”, ainda inédita.

O rio Urubu é irmão do rio Negro,
ambos fluem na margem esquerda do Amazonas
calha central da bacia.

Como todo rio ele vai sempre em frente
não volta nunca, embora desenhe largas curvas
até chegar à cidade.

É silencioso como um homem primitivo
e possui águas negras como asas de urubus
de onde lhe veio o nome.

Na primeira ponte não se mostra inteiro,
mas na segunda ele se deita como um couro
de onça preta.

Quem vai à cidade pelo rio Amazonas recebe águas barrentas
e pela estrada vai vendo em tudo águas negras
como o rio Urubu.

Compartilhar
Elson Farias
*Poeta e ensaísta. Ex-presidente da União Brasileira de Escritores do Amazonas e da Academia Amazonense de Letras. Nascido em Itacoatiara é uma das glórias dessa cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui