Xô, Urucubaca!

0
949

Apesar da torrente de chuva que desabou sobre o Estádio Floro de Mendonça desde os primeiros minutos de jogo, Penarol e Nacional proporcionaram um espetáculo digno do mais exigente torcedor. Os dois Leões lutavam por objetivos de importância proporcional. O Leão de Serpa precisava de uma vitoria redentora que lhe tirasse toda a urucubaca herdada com a saída do professor Aderbal Lana, e lhe devolvesse a condição de um dos favoritos ao título do returno. Pelo outro lado, o Leão da Vila Municipal de Manaus, agora com Lana como técnico, vinha invicto e em busca de mais uma vitoria que lhe garantiria a auto-afirmação e favoritismo. O forte aguaceiro que caiu, entretanto, ao invés arrefecer os ânimos, fez foi ficar mais viril e pegado a disputa pela bola; mas sem chegar à violência e deslealdade. O Penarol desde o inicio se mostrou outro, bem diferente do que se via em partidas anteriores. Agora, era um Time bem postado, ocupando com sabedoria todos os espaços do campo; atacava e defendia com a mesma disposição leonina de seu opositor. E por duas vezes o Leão de casa quase chega ao gol, com Kitó em bela arrancada desde o meio campo até a entrada da área quando finalizou já sem apoio, desequilibrado, para fácil defesa do goleiro, e com Igor Cearense em bonita jogada, mas sem finalização precisa. O jogo transcorreu vibrante e emocionante de se ver até o fim do primeiro tempo com o placar em 0 X 0, Indo às duas equipes para os vestiários sob aplausos e com o sentimento de quem agradou ao bom publico presente. Para o Segundo Tempo, as duas equipes retornam ao gramado sob a impertinente chuva que saturava a boa drenagem do Florão. Reiniciado, o jogo continuou de alto nível pela disposição dos atletas em compensar a ausência da técnica em campo muito encharcado, com a disposição para a luta em busca da vitória. Os dois técnicos usaram do direito às substituições, o que manteve o jogo célere, e, aos 36 min., o técnico Grana coloca o artilheiro Robemar, ou Rob-Gol (como preferir) no lugar de Deivid, e 2 min. depois, em sua primeira participação; em uma bola vinda da direita, Rob-Gol bate forte na bola e ganha o rebote do goleiro para mandar para o fundo do gol, fazendo a alegria da galera, que sob a chuva, dançava, pulava e fazia gestos como se estivesse num banho de descarrego, espantando a uruca. Enquanto isto, lá na lateral, onde ficam os bancos de reservas, observei a alegria do neófito Técnico do Penarol contrastando com os gestos de decepção do veterano Técnico do Nacional que via sua invencibilidade em 2013 se esvaindo com as águas da chuva, e a cada minuto que passava também via todas as investidas de seu Time esbarrar na impressionante atuação de nosso goleiro Lauro, que em tarde de esplendor, pegou tudo, com arte e elegância. Final de jogo, o Penarol saiu com sua redentora vitoria e vai se preparar para no próximo domingo (28), pegar aqui mesmo no Florão, o imprevisível Sul América, quando poderemos confirmar nossa participação nas quartas-de-final do returno.

Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui