Tempo em Roseiral e Carão voando pro Leste

0
1150

(Dedico ao poeta Elson Farias)

 

Quando me lembro
Do Rio Amazonas beijando as ribanceiras,
Na piracema, no ROSEIRAL!
Onde tinha um quintal imerso
Com muitas roseiras: vermelhas, amarelas, róseas e brancas…
E uma casa grande de varanda, construída de assacú.

Da meninada tirando frutos dos cacaueiros
Para fazer golôgolô nas cuias grandes,
E pulando no praiado, e jogando bola feita de látex.

Seu Elesbão Farias carregando
Couro de jacaré, cacau e borracha.
Pro navio Barão de Cametá.

Época de Carão voando em bandos,
Pros lados do Arrozal e do Canaçari.

Compartilhar
Carlos Augusto Barros
Escritor e poeta itacoatiarense. Membro da Academia Itacoatiarense de Letras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui