Saúde e exercícios na idade tardia

0
855

A prática regular de atividade física sempre esteve relacionada à imagem de pessoas saudáveis. Tanto assim que um conjunto de atividades praticadas individualmente ou coletivamente envolvendo gastos de energia, movimentos corporais com aplicação de uma ou mais atividades mentais e sociais levam benefícios à saúde.

O grande risco existente na sociedade é o sedentarismo, numa população que cresce cada vez mais na faixa etária acima de sessenta anos de idade. A pesquisa tem demonstrado que a população atual gasta menos energia e com menor quantidade de calorias por dia que as populações de cem anos atrás. Em conseqüência da utilização da nova tecnologia, não se caminha mais do que no passado, não se abre mais as portas, pois elas se abrem automaticamente, fica-se mais tempo sentado utilizando computadores e vendo TV, se utiliza mais elevadores do que as escadas, os vidros dos carros também são automáticos. Sendo assim o estilo de vida atual pode ser responsabilizado por 54% do risco de morte por infarto e 50% do risco de morte por acidente vascular cerebral, que são os principais riscos de morte em nosso País.  Sendo a atividade física recomendada como cuidados de saúde pública, a cidade do Rio de Janeiro providenciou para que as praças agora disponibilizem aparelhos para a prática de exercícios físicos pela população, com acompanhamento de profissionais habilitados.

Esta prática regular de exercícios físicos acompanha-se de benefícios que se manifestam sob todos os aspectos do organismo. Do ponto de vista músculo-esquelético auxilia na melhora da força e do tônus muscular e da flexibilidade, fortalecimentos dos ossos e das articulações. No caso das crianças pode ajudar no desenvolvimento das habilidades psicomotoras.

Os benefícios físicos são responsáveis pela perda de peso corporal com diminuição da obesidade, controle da pressão arterial, melhora do diabetes, recuperação das articulações comprometidas pelos processos da artrose, dando como resultado na prevenção das doenças crônicas degenerativas, diminuindo os riscos de morbidade e mortalidade antecipadas.

No campo de saúde mental a prática regular de atividade física ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo sanguíneo para o cérebro, ajuda na capacidade de lidar com problemas e com o estresse. Estimula a abstinência de drogas, recupera a auto-estima, reduzindo a ansiedade evitando a depressão.

Então queremos afirmar que tanto jovens quanto idosos se beneficiam desta prática, pois nestes últimos evita a sarcopenia que é a falta de força muscular com diminuição da massa magra e comprometimento do equilíbrio próprios do processo natural do envelhecimento. Portanto, previne esta que uma das principais causas de um evento perigoso na idade tardia: as “quedas” e suas conseqüências.

O nosso conselho é que a prática de exercícios seja diária, lembrando que o melhor exercício para idosos é a caminhada em terreno plano durante 30 a 40 minutos, não esquecendo de fazer alongamentos antes e depois da caminhada e de se hidratar convenientemente, controlando os batimentos cardíacos que não devem ultrapassar 150 batimentos por minuto.

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui