O dom de saber ouvir

0
4976

Nossa primeira responsabilidade é cuidar do próprio equilíbrio. Muitas vezes nos deixamos influenciar pelos outros, nos envolvemos em assuntos que não nos dizem respeito, acabamos absorvendo energias negativas sem necessidade e ficamos mal.

Calar e observar as coisas, não agir por impulso nos ajuda a conter arroubos de opinião que em sua maioria, não estão claros o suficiente e podem causar aborrecimentos.

Saber ouvir é uma arte, um dom que evita muitos infortúnios, ou você é daqueles que enquanto o outro fala, fica só imaginando o que pretende dizer a fim de vencer a competição? Sim, porque a vaidade nos empurra para sempre dizer a ultima palavra, para deixar o interlocutor impressionado com a nossa desenvoltura e poder de articulação, que erroneamente rotulamos como sabedoria. Essa é uma ilusão que custa caro porque faz com que você perca a oportunidade de enxergar os outros lados do assunto.

Quando alguém se coloca de maneira direta, querendo esclarecer um problema e você interpreta de forma pessoal, ao invés de entender as razões do outro acaba aprofundando o desentendimento. Em qualquer situação, seria mais produtivo ouvir com atenção e analisar com calma para decidir qual a melhor atitude. Temos todo o direito de nos afastarmos de pessoas negativas e sugadoras, tratando-as educadamente, sem dar-lhes intimidade ou vazão, temos que nos defendermos de tudo e de todos que possam tirar nosso equilíbrio, mas, se o fizermos sem discernimento, estaremos fadados a jogarmos ao léu a oportunidade de solidificarmos uma boa parceria, não só profissional, bem como, com as amizades e familiares também.

Contudo, analisar as atitudes das pessoas se faz necessário, a fim de nos situarmos para sabermos como lidaremos com elas, mas sem julgamentos. Julgar os outros pelas aparências, ou ainda pela primeira impressão, além de injusto, pode nos fazer cometer erros graves e arranjar problemas desagradáveis. Quando não entendemos as atitudes de alguém, o melhor a fazer é ficarmos neutros e com isso mantermos sempre o equilibrio.

A conquista do equilíbrio emocional só será possível quando buscarmos nos conhecer melhor. Olhar nossos pontos fracos com sinceridade, sem critica, procurar melhorar, nos ajuda a desenvolver uma visão mais verdadeira do que somos. Captamos e emitimos energias e a qualidade delas é que mantém nosso equilíbrio físico, mental e espiritual. As energias são neutras, nem boas nem ruins, são os nossos pensamentos que as manipulam, dão seu teor, criam formas que reagem e as tornam negativas ou positivas.

Portanto, saber ouvir com a alma é a certeza de conquistar o equilíbrio, com isso, você se sentirá mais alegre, de bem com a vida, mais sereno e terá uma visão clara que a cada dia irá se desenvolver melhor e terá a consciência de que tudo que vai indubitavelmente volta.

O poder de viver em paz nos encoraja a enfrentar e vencer todos os desafios do caminho. Saber ouvir é se dar a possibilidade de também ser ouvido e bem entendido.

A Regra de Ouro do Bom Ouvinte: 1- Seja receptivo ao que chega aos seus ouvidos; 2- Deixe seu corpo e mente soltos e abertos para o que vem; 3- Faça contato visual, volte seu corpo e mente para quem lhe fala; 4- Exercite a empatia, procure entender o que o outro fala e também como ele sente. Não interprete, não julgue, não coloque seus filtros internos em ação, nem sua experiência e nem tampouco seu conhecimento prévio; 5- Relaxe e apenas ouça o que a pessoa diz.

E FINALMENTE LEMBRE-SE DA REGRA DE OURO GERAL: “FALAR É PRATA, CALAR É OURO”.

Compartilhar
Fabiolla Fonseca
Psicóloga, nascida em Itacoatiara, casada e mãe de duas filhas. Especialista em Psicologia Jurídica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui