História de Itacoatiara

1
2475

Você, leitor, sabia que o tacacá foi inventado em Itacoatiara? E que a pedra que ilustra o brasão e a bandeira municipais, depositada hoje em dia em frente à Catedral de Nossa Senhora do Rosário, possui registros das passagens do sertanista Francisco Xavier de Morais e do governador Mendonça Furtado, das tropas e dos religiosos, respectivamente em 1744 e 1754? Você sabia que, naquela região, há fantásticos sítios arqueológicos, como sepulturas indígenas e inscrições nas pedras dos rios carentes de estudos? Você sabia que Itacoatiara teve autonomia política antes de Manaus, o Lugar da Barra?

Pois eu não sabia. E acredito que muitos dos leitores também não, justo porque pouco ou nenhuma importância as grades curriculares das escolas dedicam à história de nossos municípios.

Essa lacuna, porém, foi preenchida na última quinta-feira (29.11.2012) pela substanciosa, brilhante e encantadora palestra proferida na sede do Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos (ICBEU) pelo professor, membro da Academia Amazonense de Letras (AAL), promotor de justiça aposentado e historiador Francisco Gomes da Silva, o qual, de maneira criteriosa, traçou um perfil rico e apaixonado sobre a “História de Itacoatiara”, ele que é autor de nada mais, nada menos, do que doze livros sobre a cidade.

De fato, nós amazonenses, especificamente os moradores de Manaus, precisamos sair da redoma e voltar os nossos olhos, também, para as coisas do interior do Estado. Depois dessa aula magna de Francisco Gomes sinto-me mais amazonense do que nunca. E itacoatiarense, já, de coração.

Compartilhar
Júlio Antônio Lopes
Advogado e escritor. Membro da Academia Amazonense de Letras e do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas.

1 COMENTÁRIO

  1. dezembro 3 2012

    J. R.
    Fantástica a palestra sobre Itacoatiara, a síntese de nossos sonhos. Com domínio sobre a Didática, sintetizou jornalísticamente, parte the história, com riqueza de detalhes, matando a curiosidade dos presentes. O artigo do advogado e acadêmico Júlio Antonio Lopes, no jornal A Crítica (Cadernos A4 – Opinião -, de 02 de dezembro de 2012), que até então desconhecia esses flagrantes, ilustra bem os fatos relevantes the trajetória de protagonismo que viveu o município, despertando até o interesse dos estudantes das variadas graduações e pósgrad de, fazendo um recorte, estudar alguns fatos the História do Principado de Serpa. Vida longa ao amigo Francisco Gomes the Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui