Faea, 60 anos

0
641

Na noite de quinta-feira, 4, a Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea) celebrou 60 anos de sua fundação em solenidade que reuniu agropecuaristas e autoridades governamentais do Estado, o secretário executivo do Senar, Daniel Carrara, assim como o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Alagoas – FAEAL, Alvaro Almeida, representante da senadora Kátia Abreu, presidente da CNA. Na oportunidade, a Faea prestou homenagens a produtores rurais que se destacaram durante o ano corrente, a saber:  Agroindustrial Estevão José Aughinone, fundador, em 1963, do Café Apuí, com a medalha do Mérito Agropecuário do Amazonas; o agricultor Jodat Sahdo Júnior, que desenvolveu a maior unidade de produção de melancia do Estado em áreas de várzea, no município de Borba; Norikatsu Miyamoto, um dos maiores produtores avícolas (postura) do Amazonas, pioneiro da Colônia Japonesa de Manaus, além de Sebastião Gardingo, agropecuarista inovador e de grande expressão no setor. Gardingo desenvolve em Boca do Acre pecuária moderna, destacando-se o uso de fertilização in vitro (FIV), transferência de embriões (TE) e inseminação artificial em tempo fixo (IATF), tecnologias essas responsáveis pela expressiva melhoria que vem ocorrendo nos rebanhos da região do Alto Purus.

Por seu expressivo trabalho em favor do associativismo e a importante parceria levada a cabo no interior do Estado e em Manaus, o Sistema OCB-Sescoop/AM, órgão representativo do cooperativismo no Amazonas, recebeu a maior condecoração, a medalha de menção honrosa Eurípedes Lins, entregue ao seu presidente, Petrúcio Magalhães Junior. Na ocasião, Magalhães Jr., em discurso, afirmou que a OCB tem se destacado como importante parceira da Faea na luta por maior aplicação do crédito rural, ampliação do serviço de assistência técnica e extensão rural, aumento dos orçamentos das compras governamentais, regularizações fundiária e ambiental; como também por um estado livre de febre aftosa, pelo zoneamento econômico e ecológico, pelo seguro rural, pelo garantia-safra, pela regularidade no abastecimento de nível estoque público, pela compra de sacaria biodegradável para uso de estoque público, pela diminuição de importação de itens da cesta básica, por um maior orçamento do setor primário e tantas outras bandeiras defendidas com vigor e altamente fundamentadas na justiça e legalidade.

Muni Lourenço Silva Jr., presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas, ao falar em nome de 3.500 associados da base sindical, e dos 276 mil produtores rurais que a Federação assiste em diversos campos, como do treinamento e reciclagem, via SENAR, da difusão de tecnologia e assistência técnica junto com o IDAM, recordou o trabalho incessante pela modernização do setor primário do Amazonas. Destacou a necessidade da integração com todos os órgãos estaduais e federais, a universidade, o Inpa e o Mapa como elos essenciais nesse processo. O setor rural vive momento delicado, razão pela qual a Faea vem, ao longo desses 60 anos, integrando-se em todos os níveis com as ações do Executivo visando incrementar a produção de alimentos no Estado por meio da Sepror, Idam e Adaf.

Por seu turno, o secretário da Produção Rural do Amazonas, Valdenor Cardoso, ao mesmo tempo em que destacou a importância da Faea para o desenvolvimento agropecuário do Estado, afirmou  estar o governo amazonense empenhado junto com os agricultores, os trabalhadores  e a classe empresarial na dinamização do processo de desenvolvimento rural amazonense.  Ao final da solenidade, o presidente da Faea lançou oficialmente o livro “Faea – 60 anos”, o selo da Federação – uma homenagem dos Correios à organização – e assinou, com a secretária de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Camila Amaral, o Termo de Cooperação Técnica que estabelece compromissos sobre melhoria do uso do solo e o início do processo de adesão ao Cadastro Ambiental Rural (CAR).

 

Compartilhar
Osíris Silva
O economista Osíris M. Araújo da Silva é consultor de empresas, ex-secretário Municipal de Economia e Finanças da PMM, ex-secretário da Indústria, Comércio e Turismo e ex-secretário da Fazenda do Amazonas. É presidente da AMAZONCITRUS – Associação Amazonense de Citricultores, membro do Grupo de Estudos Estratégicos Amazônicos (GEEA), do INPA, e articulista econômico de A Crítica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui