Entre nós (15)

0
796

A lei natural do processo de envelhecimento coincide com a lei da Entropia que diz o seguinte: “A energia de um corpo tende a se degenerar e com isso a desordem do sistema aumenta”. Ora, no universo tudo foi feito para acabar! Logo, não seria diferente com os seres vivos.

Outro dia um amigo meu disse à esposa: “Me use, me use, pois estou acabando!”. É engraçado, mas muito realista! Isso nos chama a atenção para que não continuemos presos ao passado, devemos mesmo é estar comprometidos com o amanhã por que as dores dos sentimentos se refazem com certa celeridade, basta que não nos encontremos por isto ou aquilo tão menor perante a vida.

Cicero dizia que o futuro é sempre incerto, mas com certeza é o único tempo que nos resta. Portanto, paremos de nos preocupar se ficamos careca, barrigudos(as), com algumas rugas aqui e outras acolá, se nossa expressão de beleza esmaeceu. Podemos procurar a reparação com os magníficos técnicos da plasticidade, mas cuidado para não ficarmos parecendo bonecos de cera.

Não soframos por conta destas leis inexoráveis da natureza, que levam sempre a todos que nasceram um dia a desaparecerem; afinal, essa é a ordem natural das coisas da vida. Isto tudo pode acarretar uma dor insuportável que atinge a alma e acabamos por nos tornar amargos, principalmente com quem amamos e com aqueles que nos amam também.

O apego a coisas materiais, querendo sempre que dure o que não feito para durar, aumenta tanto o sofrimento que muitos acabam por se autodestruir. Lembremos de que os seres humanos têm limites que devem ser respeitados e é realmente sábio quem aceita estes limites para evitar o constrangimento de viver um sofrimento perene.

Portanto devemos curtir a vida, pensando nela no dia a dia e não ligar se n ossos membros estão mais frágeis, se estamos esquecendo as coisas e dos fatos, se enxergamos menos e se escutamos menos ainda, se a libido diminuiu, entre outras coisas. Pare com  esse sofrimento, relaxe e aproveite!

Segundo o Professor José Inácio da Silva Pereira, que me inspirou a fazer esse artigo, é verdadeira a afirmativa: “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora a fazer um novo fim”.

Viva a vida, cada vez melhor! E um FELIZ NATAL!

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui