Desmatamento na Amazônia é o 2º menor já registrado

0
458

*Materia inserida no Caderno Ciência+Saúde: Folha de São Paulo de 27/11/2014.

 

Devastação entre agosto de 2013 e julho de 2014, de 4.848 km², só é maior do que a do mesmo período entre 2011 e 2012

Dado é do sistema Prodes, anual e mais sofisticado; já o Deter, mensal, aponta que corte voltou a subir em agosto e setembro

 

DE BRASÍLIA

O desmatamento na Amazônia voltou a cair neste ano, segundo dados oficiais divulgados nesta quarta (26).

Depois de subir 29% no período 2012-2013, a taxa de derrubada da floresta no período 2013-2014 diminuiu em 18%, segundo o sistema Prodes, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). As medições via satélite são feitas tradicionalmente entre agosto e julho, o chamado ano fiscal do desmatamento.

No total, 4.848 km² foram derrubados “”o segundo menor número da série história, iniciada em 1988, perdendo apenas para 2011-2012.

O dado pode sofrer atualizações até maio, mas o Ministério do Meio Ambiente diz que elas não irão mudar o fato de que o número é o segundo melhor da série histórica.

O Estado que teve o pior resultado absoluto foi, de novo, o Pará, com 1.829 km². Apenas Roraima (37%) e Acre (41%) tiveram um aumento do desmatamento em comparação ao período anterior.

Segundo a ministra Izabella Teixeira (Meio Ambiente), o resultado é uma amostra do trabalho de combate ao desmatamento. “O governo Dilma tem os quatro menores índices de desmatamento da Amazônia”, afirmou Teixeira.

O Prodes é um dos sistemas de monitoramento de desmatamento do governo federal. Ele tem alta resolução e é especializado em computar o ritmo do corte raso da floresta.

O outro sistema, o Deter, tem como foco orientar ações de fiscalização do Ibama e tem menor resolução. Seus dados, porém, sempre foram usados para indicar tendências enquanto não há Prodes.

A Folha revelou no último dia 8 que o Deter apontou, para agosto e setembro, um desmatamento de 1.626 km², com crescimento de 122% sobre os mesmos dois meses de 2013.

Ou seja, as cifras do Deter tratam de meses posteriores ao ano fiscal do Prodes.

O mesmo vale para o dado do Imazon, ONG de Belém que mostrou aumento de 467% no desmatamento em outubro ante o mesmo mês de 2013.

Compartilhar
Autor Externo
As publicações são fontes externas de outros veículos de comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui