Bebida dos Muras das Pedras Riscadas

0
821

(Dedico ao amigo Francisco Gomes)

À beira do lago de Serpa,
De águas correntes ,
Dos botos-vermelhos
Do Arauató .

Uma bebida estranha,
O tacacá, servido em cuias,
Sorvida por mulheres e homens,
Com camarão e jambu.
Bebida deliciosa!
Extrato, subproduto da mandioca.
Tão

C

H

E

I

R

O

S

A

Que em minhas andanças pela floresta
E rios caudalosos
Vi somente nesta terra.
Em SERPA

1
8
5
9

Terras dos Aruaques e suas Iconografias.
Dos Remadores da Liberdade
Com seus instrumentos musicais.
Da civilização das canoas fluentes.
Tão forte a bebida! Que os olhos lacrimejam.

Compartilhar
Carlos Augusto Barros
Escritor e poeta itacoatiarense. Membro da Academia Itacoatiarense de Letras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui