A cura gay

0
29

Sabemos que a formação de um novo ser humano necessita da união de duas células que uma vez unidas serão capazes de formar uma nova vida. Sendo que as células têm que ter origem de dois indivíduos de sexos distintos: masculino e feminino. Para dar origem a um novo indivíduo estas células devem apresentar gametas distintos, que ao se juntarem formam um indivíduo do sexo feminino pela união de dois gametas XX e do sexo masculino, se a união for de gametas XY. Então, logo na origem se formam o sexo masculino e o feminino. Tanto assim que sexo e gênero são conceitos completamente diferentes, logo gênero só existe na gramática. E na formação do embrião para fechar o notocórdio, que é a estrutura fundamental da gênese do novo ser, dependendo do tempo de fechamento, se comprovou histologicamente que quando se dá de imediato, aquele embrião trará características de sexo masculino. Mas se demorar a fechar, este tempo maior dará origem a um novo ser do sexo feminino. E estas diferentes características estão implícitas anatômica e funcionalmente com pênis e testículos nos machos e vagina, ovário, útero e trompas nas mulheres, e com a idade haverá o aparecimento de pelos mais intensos nos homens e mamas crescidas nas mulheres, próprias no futuro para alimentar um novo ser.

Foi identificado também que o cérebro dos indivíduos do sexo masculino é repleto de 100 milhões de neurônios (células do cérebro). E as mulheres têm o tamanho do cérebro um pouco menor, com 80 milhões de neurônios. Um patologista alemão de nome Erick Wool, da Universidade de Munique, durante vinte anos fez necropsias em cinco mil indivíduos reconhecidamente homossexuais de ambos os sexos e constatou que indivíduos do sexo masculino teriam o cérebro do tamanho igual ao do sexo feminino, ou seja, menor, ocorrendo o mesmo com as mulheres homossexuais, que apresentaram cérebros maiores, a exemplo dos homens. Logo, a mudança comportamental nas escolhas de parceiras e parceiros do mesmo sexo poderia estar ligada a esta situação de maior ou menor quantidade de neurônios cerebrais. Contudo, o mesmo pesquisador foi muito criticado, pois deram exemplos de homossexuais masculinos famosos que tinham muito poder, aparentemente com atitudes masculinas, pois um era um soldado conquistador, o Alexandre – o Grande, e o outro um poderoso rei de Roma, o famoso Nero. Ambos tinham atitudes masculinas, mas a preferência sexual era pelo mesmo sexo.

O Brasil foi sacudido nestes dias por uma decisão judicial, quando um juiz sentenciou um tratamento para a CURA GAY! Os cientistas não concordam com esta decisão, pois não existe cura para mudanças de comportamento nos sentimentos até estas datas. O que vai passar no futuro próximo só quem viver verá!

Compartilhar
Euler Ribeiro
Amazonense, de Itacoatiara. Formado em Medicina em Belém (PA), o médico geriatra completou os estudos em SP e nos EUA. Foi secretário de Saúde do Estado e deputado federal. Fundador da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI), ligada à Universidade Estadual do Amazonas (UEA). Membro das academias amazonenses de Letras e de Medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor informe seu nome aqui